Editorial - China falha na tentativa de controlar poluição e chuva

A escritora Emily Post seria ajudada pelas táticas dos líderes chineses. Sob que outro sistema o governo poderia dizer a seus cidadãos que não usassem meias brancas com sapatos pretos? Nas preparações para a Olimpíada, o Gabinete Capital de Desenvolvimento Ético de Pequim também sugeriu que as pessoas não vistam mais de três cores, evitem cuspir ou usar pijamas em público e nunca perguntem a um estrangeiro sobre sua idade, estado civil, renda, religião ou posição política.

The New York Times |

O governo chinês não está apenas dizendo às pessoas o que fazer. Num sinal de autoconfiança (ou auto-análise) raramente visto deste lado da fronteira fictícia, as autoridades também fizeram planos de lidar com o tempo empregando armas e aviões que atiram contra nuvens que se formam pela cidade. Mas apesar do controle que a China tem sobre as pessoas, o país tem dificuldade em fazer com que os elementos naturais se comportem.

Atirar iodo de prata contra as nuvens faz com que pequenas gotas se tornem grandes e atinjam o chão como chuva. Outras substâncias podem impedir a formação das grandes gotas. Os chineses, que gastaram milhões de dólares ao longo dos anos em projetos de chuva artificial, ponderaram a possibilidade de semear as nuvens ubíquas para evitar a chuva ou forçá-la antes que atinjam estádios importantes como o Estádio Olímpico no dia 8 de agosto, onde acontecerá a cerimônia de abertura.

A China não é o primeiro país a tentar manipular a chuva. A "Operação Popeye" tentou estender a temporada de monções para diminuir o tráfego na trilha Ho Chi Minh durante a guerra no Vietnã. Hippies de idade ainda acreditam que a Força Aérea semeou as nuvens sobre Woodstock em 1969 para tentar enterrar o festival do amor em lama. Em 1977, os Estados Unidos e outros países assinaram um tratado que proibia o uso hostil da modificação ambiental.

Muitos cientistas acreditam que não há provas que o gerenciamento da chuva realmente funcione como proclamado. Em 2003, um relatório da Academia Nacional de Ciência afirmou que apesar de contínuos esforços em diversos países e Estados americanos, não há fonte segura que comprove que as técnicas geram mais chuva do que as nuvens teriam precipitado de qualquer forma.

O Partido Comunista Chinês tem histórias contraditórias sobre sua postura em relação à natureza. Durante a Revolução Cultural no final dos anos 1950, Mao ordenou que o chineses matassem todos os pardais que comiam os grãos. Eles conseguiram isso assustando os pardais com o bater de panelas, destruindo seus ninhos e quebrando seus ovos. Infelizmente, com o desaparecimento das aves abriu-se caminho para o crescimento da erva daninha.

Desta vez, a natureza também não tem ajudado. O governo gastou bilhões para melhorar a qualidade do ar. Centenas de fábricas foram fechadas na região da capital, milhões de carros tirados de circulação e até mesmo flores forçadas a abrirem em agosto.

Ainda assim, poucos dias antes do início dos Jogos Olímpicos a poluição em Pequim continua teimosamente alta. Talvez a previsão de chuva forte na sexta-feira não seja, assim, uma idéia tão ruim.

Por EDUARDO PORTER

Leia mais sobre China

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG