Tamanho do texto

No problema com as cédulas borboleta em 2000, os eleitores do condado de Palm Beach ficaram tão confusos com o formato que muitos aparentemente votaram para o candidato errado. Oito anos depois ainda existem muitas cédulas com defeitos. A Carolina do Norte pode ter a pior do país. Seu formato já cria problemas entre os eleitores antecipados. Caso a disputa seja acirrada, estas cédulas podem definir o resultado da eleição.



Acordo Ortográfico Como muitos Estados, a Carolina do Norte permite que seus eleitores optem por uma cédula partidária. Para fazer isso, os eleitores podem marcar um campo e votar para todos os candidatos do partido de sua preferência. Mas a cédula da Carolina do Norte tem um medida inesperada. Mesmo se optar pela cédula partidária, os eleitores têm que votar separadamente para o candidato à presidência.

A cédula da Carolina do Norte explica a necessidade de se marcar ambos os campos e as autoridades eleitorais divulgaram esta informação no Estado. Mas a cédula ainda é muito confusa.

Este formato de votação partidária foi adotado nos anos 1960, para ajudar a manter os democratas do Estado no poder, mesmo conforme os eleitores passaram a escolher republicanos para a presidência. Assim, não é surpresa que a Carolina do Norte tenha um alto índice de votos incorretos, cédulas que não têm a informação marcada para a presidência. Nas últimas duas eleições presidenciais, o índice foi o dobro da média nacional.

O formato ruim das cédulas é um fardo para todos os eleitores.
Eleitores menos educados e os que tentam votar pela primeira vez são os mais propensos a erros e a deixar de marcar sua opção para presidente.

Neste ano, a cédula falha da Carolina do Norte pode novamente resultar em milhares de votos perdidos. Isso é particularmente assustador uma vez que as urnas indicam que o Estado será um dos mais disputados deste ano. Além disso, como aprendemos em 2000, uma eleição presidencial pode ser decidida por meros 537 votos.

Agora é tarde demais para mudarmos as cédulas da eleição deste ano, por isso as autoridades responsáveis precisam fazer o possível para explicar aos eleitores como o voto funciona. Quando a eleição terminar, a Carolina do Norte precisa incluir a disputa presidencial na sua cédula de eleição partidária, ou exigir que os eleitores escolham seus candidatos um por um.

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.