Editorial - Americanos se preocupam com a neve em julho

Mesmo sob o forte calor do verão, moradores de mais de 8 milhões de casas com aquecedores a óleo (mais de três quartos das quais estão no noroeste do país), se preocupam com o inverno. O preço do aquecimento a óleo subiu quase 40% esse ano. A menos que o preço sofra uma queda súbita, o que parece pouco provável, muitos consumidores irão enfrentar problemas para manter suas casas da mesma forma que já enfrentam com seus carros.

The New York Times |

Pessoas com dinheiro no banco puderam contratar o aquecimento para o próximo inverno há meses por preços muito mais baixos. Mas milhões de famílias que vivem um mês de cada vez precisarão de ajuda. Com o aquecimento a óleo chegando a custar US$4.50 o galão, em comparação a US$2.50 no ano passado, o típico proprietário de uma casa na Nova Inglaterra que usa mais de 600 galões ao ano pode ver o inverno aumentar sua conta para US$2.700, ou quase US$500 o mês nos meses mais frios.

As autoridades estatais e locais podem fornecer alguma ajuda emergencial. Mas essas mesmas autoridades também estão sem dinheiro, o que significa que apenas o Congresso pode oferecer o alívio na escala que será necessária.

Um projeto de lei apresentado no Senado forneceria cerca de US$2.5 bilhões sob o Programa de Assistência Energética às Moradias de Baixa Renda. Metade dessa verba seria entregue aos Estados para ajudar os moradores a pagarem suas contas de energia e a outra metade ficaria num fundo de contingência que poderia ser usado de acordo com o presidente.

Quando o projeto for votado, provavelmente no final desse mês, o Congresso deve aprová-lo e o presidente Bush deve transformá-lo em lei. No mês passado, US$1 bilhões em assistência adicional para o aquecimento foram removidos de um projeto suplementar de defesa quando Bush ameaçou vetar a medida a menos que a maioria dos gastos não direcionadas à defesa fossem removidos. Agora não há motivos para isso.

Conforme a economia desacelera e o preço do petróleo aumenta, ajudar os americanos que não podem pagar o aquecimento de suas casas se torna uma questão de saúde e segurança pública, bem como um imperativo moral. Pessoas sem o aquecimento adequado são sujeitas à doenças. Pessoas que lutam para pagar suas contas de aquecimento podem se sentir tentadas a não comprar remédios ou comida.

Ninguém deveria ter que escolher entre se aquecer ou comer. Se agirem nesse verão (como precisam fazer, antes que o presidente e as campanhas congressionais mudem de assunto)  o Congresso e Bush podem garantir que ninguém tenha que fazer essa escolha.

Leia mais sobre: nevasca

    Leia tudo sobre: nevethe new york times

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG