Doença em papoulas prejudica EUA no Afeganistão

Ao culpar Washington e Otan por destruição de cultivos, milícia do Taleban atrai apoio popular contra ofensiva militar ocidental

The New York Times |

The New York Times
Fazendeiro prepara para colher papoulas em Khosh Gombaz, Afeganistão (11/04/2002)
Cerca de um terço da colheita de papoula do Afeganistão foi destruída nesta primavera por uma doença misteriosa, de acordo com estimativas anunciadas na quarta-feira por funcionários da ONU. Isso  possivelmente complicará as ofensivas militares programadas para o verão por Estados Unidos e Otan ao coração produtor de ópio no país.

A estratégia de relações públicas da milícia islâmica Taleban para contra-atacar as ofensivas inclui tentar convencer os locais de que as tropas ocidentais destruirão suas plantações de papoula e, nas últimas semanas, fazendeiros afegãos têm culpado os militares americanos e da Otan (Organização do Atlântico Norte) pela disseminação da doença, disseram os oficiais da ONU.

Em muitos locais, a doença exterminou mais da metade dos campos de papoula. Os militares americanos - que decidiram que a erradicação da planta pode ser contraproducente na conquista dos afegãos - negam enfaticamente qualquer envolvimento e os oficiais da ONU afirmam que a doença tem procedência natural.

Além de abastecer a guerra de propaganda, a doença também ajudar a insurgência por causa na alta dos preços. A redução da produção está fazendo com que os preços do ópio disparem até 60%, após anos de declínio constante, segundo o diretor-executivo da Agência de Drogas e Crime da ONU, Antonio Maria Costa.

Ainda que não haja indício de que a doença voltará no próximo ano, o aumento no preço pode tornar mais difícil de convencer os agricultores a desistir da cultura, ele explicou.

O aumento dos preços também está valorizando em centenas de milhões de dólares os enormes estoques de ópio mantidos por traficantes e militantes. Acredita-se que o comércio do ópio estabeleça grande parte da renda de manutenção do Taleban.

A doença deve destruir cerca de 2,5 mil toneladas da produção de ópio, principalmente nas Províncias de Helmand, Kandahar e Oruzgan, disse Costa em uma entrevista em Nova York. Os Estados Unidos e a Otan têm enviado milhares de novos soldados a Helmand e Kandahar em uma tentativa de arrebatar o controle do Taleban.

Alguns oficiais da Otan temem que caso as operações militares não mostrem resultados significativos este ano, elas podem condenar a estratégia do presidente Barack Obama para o Afeganistão. O Afeganistão produz 90% do ópio mundial.

A doença é provavelmente causada por um afídeo, mas também pode ser o resultado de um fungo ou vírus, explicou Costa.

*Por Richard A. Oppel

    Leia tudo sobre: AfeganistãopapoulasópioEUAOtan

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG