Documentário expõe homem responsável por rumores sobre Obama

O rumor mais persistente sobre o senador Barack Obama chegou a público em 2004, apenas duas semanas depois do discurso feito por ele na convenção democrata que o colocou a caminho da indicação à presidência: Obama é um muçulmano que esconde sua religião.

The New York Times |

Acordo Ortográfico A declaração foi veiculada num comunicado à imprensa e criou um conto complexo sobre a antecedência de Obama, que é cristão.

O comunicado foi usado pelo website conservador FreeRepublic.com e disseminado continuamente por outras fontes que elaboraram a questão ao longo dos anos em e-mails, websites e livros. Este rumor continua a ser o motor que impulsiona outras histórias sobre o passado de Obama até hoje, com apelo nacional que pôde ser percebido na sexta-feira quando uma mulher disse ao senador John McCain num encontro municipal:

"Eu li a respeito dele" e "ele é árabe". McCain corrigiu a mulher.

Até este mês, o homem que merece crédito por ter dado início a essa campanha difamatória online que ainda persegue Obama, não passava de uma personagem secundária no noticiário, com explorações de seu passado aparecendo apenas em blogs liberais.

Mas um documentário exibido pela Fox News e acompanhado por 3 milhões de espectadores na semana passada colocou o homem, Andy Martin, e seu passado sob os holofotes. Mas o programa da Fox permitiu que Martin afirmasse sem desafio que Obama foi treinado para derrubar o governo.

Uma análise de documentos legais e registros eleitorais, além de antigas entrevistas, revelam que Martin, 62, é um homem propenso a disseminar fatos que nem sempre são reais, que deixou um rastro de animosidade (com coisas como comentários anti-semitas) entre líderes políticos, advogados e juízes em três Estados ao longo de mais de 30 anos.

NYT

Andy Martin, responsável por
rumores sobre Obama

Após de formar em Direito, ele não foi aceito pela organização dos advogados de Illinois nos anos 1970 depois que um teste psiquiátrico descobriu "deformações moderadas no caráter manifestadas através da imaginação documentada com toques de paranoia". Apesar de não ser um advogado licenciado, Martin passou a dar entrada em inúmeros processos e tentou sem sucesso cargos públicos em três Estados, bem como a presidência pelo menos duas vezes, em 1988 e 2000. Baseado em Chicago, ele agora se identifica como autor e escritor que concentra sua atividade em seu website anti-Obama.

Martin, numa série de entrevistas, não discordou de sua influência nos rumores sobre Obama.

"Todos usam minhas pesquisas como ponto de partida", disse Martin, acrescentando, no entanto, que alguns pegam seus textos "e exageram para que representem suas fantasias".

Quanto a seu passado, ele disse, "Eu sou uma pessoa diferente, sempre haverá alguém com uma causa legitima com direito a ter raiva de mim".

Por JIM RUTENBERG

Veja também:

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG