Distrito de Detroit prospera com base no passado

Parte do sucesso deve-se ainda a construtores que estão renovando os edifícios mais antigos, através de créditos e financiamento

The New York Yimes |

Em nítido contraste com o resto da área metropolitana de Detroit, uma área conhecida como Midtown, ao norte do distrito central de negócios, tem se mantido estável durante a recessão.

Muito do sucesso de Midtown – como foi batizada há uma década – é resultado da força de instituições como a Universidade Wayne State, o Centro Médico de Detroit, o Hospital Henry Ford e o Instituto de Artes de Detroit, os quais contribuem com alunos e funcionários, bem como moradores.

Outro componente do sucesso de Midtown é que seus construtores estão renovando os edifícios mais antigos, através de créditos fiscais e financiamento público, tanto quanto estão construindo prédios novos.

The New York Times
Michael Poris que está trabalhando no projeto para a avenida Woodward, em Detroit
“Durante muito tempo houve um grande esforço em derrubar as casas antigas de Detroit”, disse Michael Poris, arquiteto da empresa McIntosh Poris, que está restaurando uma antiga casa de apresentações em Midtown para usos múltiplos. “Mas, se temos todos esses grandes edifícios históricos aqui, porque não usar os créditos fiscais para sua reforma? Além disso, é uma forma mais ecológica e mais sustentável de construir”.

De acordo com o grupo CoStar, uma empresa de informação imobiliária em Bethesda, Maryland, a taxa de escritórios desocupados em Midtown – incluindo uma área adjacente conhecida como Novo Centro, onde a antiga sede da General Motors agora abriga escritórios estatais – ficou em torno de 8,2% no segundo trimestre deste ano.

A taxa de escritórios desocupados no distrito central de negócios de Detroit, que com 24,5 milhões de pés quadrados tem 3,5 vezes o espaço de Midtown, foi de 19,5% no segundo trimestre de 2010.

Em uma benção para Midtown, o Centro Médico de Detroit anunciou em junho que havia sido adquirido pela Vanguard Sistemas de Saúde, uma unidade do Blackstone Group, que disse que iria investir US$850 milhões durante cinco anos para expandir e modernizar as instalações do centro médico.

Mercado imobiliário

O mercado imobiliário também está prosperando, disse Susan Mosey, presidente da Associação Cultural do Centro Universitário, uma organização formada por várias instituições de Midtown que orienta o desenvolvimento da região. Muitos edifícios obsoletos em Midtown foram convertidos para unidades habitacionais nos últimos anos, e o mercado de aluguel tem sido fortalecido na região. Um estudo da associação constatou que 92% das 4.295 unidades de aluguel na área foram ocupadas na primavera passada.

O projeto onde a Poris está restaurando a antiga casa de apresentações, o Garden Theater de 1912, também inclui um novo edifício de três andares. Os dois primeiros andares foram alugados pelo Grupo Wayne de Médicos do Estado, disse Susan.

Projeto

Essa construção, que está reformando um quarteirão inteiro ao longo da artéria principal da zona comercial, a Avenida Woodward, inclui a construção de uma garagem com 302 vagas e a restauração do edifício de dois andares Blue Moon, construído em 1886, em um espaço de escritórios e restaurante. Após a restauração do Garden Theater em um salão de música e espaços comerciais, 60 apartamentos serão construídos, disse Poris.

Grande parte do projeto de US$ 45 milhões, ele ressaltou, foi financiado com créditos fiscais de preservação histórica, juntamente com créditos a reutilização de um edifício obsoleto.

*Por Alison Gregor

    Leia tudo sobre: detroitmidtownprojetonegócioseua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG