Disputa por sucessão e dívida tomam conta de megaigreja americana

Catedral de Cristal, em Garden Grove, Califórnia, está envolta em disputa familiar e possui dívida de US$ 43 milhões

The New York Times |

As 10.664 janelas da Catedral de Cristal, a famosa igreja de vidro fundada pelo Reverendo Robert H. Schuller como uma das primeiras empresas de radiodifusão religiosa, não foram lavadas este ano. Voluntários cuidam dos 40 hectares de jardins da igreja, agora que os jardineiros foram despedidos. O império que Schuller construiu pode estar em perigo, manchado por uma disputa familiar e uma dívida de US$ 43 milhões que, mesmo para os padrões de uma megaigreja, é grave.

The New York Times
A Catedral de Cristal pediu proteção contra falência na semana passada

Quando a Catedral de Cristal pediu proteção contra falência na semana passada, Sheila Schuller Coleman, pastora sênior e filha mais velha de Schuller, culpou a crise econômica.

Mas a igreja estava com problemas muito antes da crise econômica, de acordo com fiéis e membros da família entrevistados na semana passada. A instituição já estava sofrendo com a sucessão fracassada de Schuller, projetos de construção vaidosos demais e mudanças na indústria de radiodifusão religiosa.

Quando Schuller anunciou em 2006 que entregaria o púlpito para seu único filho, o reverendo Robert A. Schuller, a igreja já tinha uma enorme dívida por conta de seu projeto de construção. Mas, em pouco mais de dois anos, o filho foi descartado antes que realmente tomasse as rédeas da igreja e algumas de suas irmãs tomaram conta com seus maridos.

Briga de família

A briga de família deixou a igreja sem uma liderança clara no momento em que seus programas precisavam urgentemente de uma reforma para atrair uma nova geração de seguidores.

Em risco está o legado de Schuller sênior, que aos 84 anos ainda prega seus sermões com sua famosa marca de otimismo e inspiração cristã. Seu programa de domingo, A Hora do Poder, foi transmitido por 40 anos e foi o programa religioso semanal mais assistido por mais de uma década nos Estados Unidos.

Quando o jovem Schuller tomou as rédeas em 2006, o público da igreja estava diminuindo, obscurecido por pregadores com um formato mais contemporâneo. Enquanto isso, a audiência de A Hora do Poder – responsável pela maior parte da renda do ministério – também encolhia.

Os problemas pioraram quando o jovem Schuller tentou instituir regras básicas de bom gerenciamento usadas por muitas organizações sem fins lucrativos. Ele queria tirar qualquer um com conflito de interesse da diretoria. Isso significava derrubar alguns dos seus familiares.

Golpe

O golpe veio em julho de 2008. Schuller disse que foi informado que sua pregação não era "abençoada". Um trio de presidência – do qual dois membros eram seus cunhados – foi criado para liderar a megaigreja. Ele recebeu o papel limitado de pastor da congregação local e foi removido da pregação de A Hora do Poder. E se demitiu.

O papel principal de pregação de A Hora do Poder é agora preenchido por um elenco de convidados. Em 2009, Schuller Coleman foi feito pastor titular da Catedral de Cristal.

Eles planejam em breve transmitir um programa de pregação com um novo membro da terceira geração de Schullers no ministério: Robert V. Schuller, neto do fundador da Catedral de Cristal e filho de Robert A. Schuller. O neto lidera uma congregação em crescimento voltada para um público mais jovem.

*Por Laurie Goodstein

    Leia tudo sobre: igrejacatedral de cristaldisputafalênciaeua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG