Discrição de provável sucessor alimenta enigma na Coreia do Norte

Especialistas questionam sucessão do líder norte-coreano, Kim Jong-il, por filho mais novo Kim Jong-un

The New York Times |

Quando foi apresentado ao público em setembro, Kim Jong-Un parecia destinado a suceder seu pai, Kim Jong-il, como líder da Coreia do Norte, uma nação miserável, irascível e armada com ogivas nucleares.

Mas especialistas em Seul, no entanto, questionam se ele já foi totalmente aprovado, apesar de sua promoção ao alto escalão militar e da urgência criada pelos problemas de saúde de seu pai. "Há algumas razões menores, mas reais, para questionarmos se estamos apressando o nosso julgamento sobre Kim Jong-un", disse Andrei Lankov, professor e especialista em Coreia do Norte da Universidade Kookmin, em Seul.

AP
Foto de outubro mostra Kim Jong-il (E) e Kim Jong-un em desfile militar em homenagem ao Partido dos Trabalhadores norte-coreano
Certamente, a família Kim tem trabalhado duro para fazer a sucessão parecer inevitável. Apesar de não ter experiência militar em campo, Kim Jong-un foi promovido a general de quatro estrelas em setembro. Além disso, seu pai também lhe concedeu dois cargos importantes no Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte.

Especialistas, no entanto, ficaram confusos com o sumiço do jovem Kim nos meses seguintes. Entrevistas recentes com pesquisadores, analistas, diplomatas e refugiados sugerem que Kim, bem como o seu país, em grande parte permanece um enigma. "Nós sabemos mais sobre galáxias distantes do que sobre a Coreia do Norte", disse um diplomata ocidental.

Cem dias após a promoção de Kim Jong-un, o poderoso aparato de criação de mitos do país dificilmente tem mencionado o herdeiro, para surpresa da maioria dos observadores da Coreia do Norte.

Transferência

Há alguma evidência de que o governo está tomando medidas para facilitar a transferência de poder. O Partido dos Trabalhadores aprovou novas regras destinadas a garantir a sucessão hereditária. Refugiados e desertores norte-coreanos recentemente relataram que ele agora é o assunto debatido nos encontros comunistas obrigatórios em escritórios e fábricas.

"Nós também ouvimos dizer que a propaganda de Kim Jong-un é especialmente intensa nas forças militares", afirmou Brian Myers, professor da Universidade Dongseo em Pusan, Coreia do Sul, e autor de The Cleanest Race: How North Koreans See Themselves and Why It Matters (A Raça Mais Limpa: Como os Norte-Coreanos Veem a Si Mesmos e Por Que Isso Importa, em tradução livre).

Mas é digno de nota, segundo especialistas, que o filho não está sendo apontado como o “centro” ou “núcleo” do partido, como foi seu pai durante a sua própria e cuidadosamente orquestrada ascensão ao poder. "Na imprensa oficial, Kim Jong-un não é mais proeminente ou celebrado do que Joe Biden nos Estados Unidos", disse Myers. "E não podemos esquecer que a imprensa oficial ainda tem de declarar explicitamente que Kim Jong-un é filho de Kim Jong-il".

*Por Mark Mcdonald

    Leia tudo sobre: coreia do nortekim jong-ilkim jong-unsucessão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG