Diga o que quiser, mas nada de jogar sapatos

NOVA YORK ¿ Um ciclista que protestava contra o aumento das passagens e dos serviços de transporte público foi retirado de um encontro público por policiais, temendo que ele estivesse prestes a imitar o jornalista iraquiano que jogou seus sapatos no presidente Bush.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

O ciclista, Stephen A. Millies, foi uma das cerca de doze pessoas que foram direcionadas para a delegacia no começo do encontro público convocado para aprovar um orçamento nesta quarta-feira, 27.

Não precisamos de aumento na passagem do transporte público e também não precisamos que nosso sistema de trânsito seja arruinado, disse Millies, que disse ser um operador de sinal da Amtrak (empresa estatal de transporte ferroviário) e membro da Campanha para Salvação das Pessoas, grupo que dá suporte a vítimas da crise econômica. Ele pediu que a passagem de metrô e de ônibus fosse reduzida para US$ 1,00 para ajudar os desempregados de Nova York.

Então, referindo-se ao executivo-chefe da jurisdição, que estava sentado há cerca de 5 metros dele, disse: Onde está Elliot Sander? Ele parou, tirou um de seus sapatos e gritou Você recebeu US$ 300 mil no ano passado.

Imediatamente, uma autoridade da polícia segurou-o e o levou para fora da sala. Ele segurava firme seu sapato oxford preto, de sola grossa em sua mão.

Esse sapato é para você, gritava ele enquanto era arrastado para fora.

Millies foi colocado rapidamente em um elevador e momentos depois foi visto sendo levado algemado para fora do prédio ¿ com seu sapato preto no pé.

A autoridade disse que Millies, 54, de Jackson Heights, no Queens, foi intimado por mal comportamento e depois liberado.

O porta-voz do poder, Jeremy Soffin, disse que Millies estava usando um sapato tamanho 43 feito pela Red Wing.

Um pouco mais tarde, Sanders riu do incidente, dizendo é a MTA (Metropolitan Transportation Authority ¿ empresa de transporte público de Nova York) e qualquer coisa pode acontecer.

Bill Morange, diretor de segurança do poder, estava ao lado do palanque do orador e foi um dos primeiros a agarrar Millies. Ele disse que parecia que o homem ia jogar o sapato.

Você pode dizer o que quiser, disse Morange. Só não atire seus sapatos.

Encontrado depois, por telefone, Millies disse que ele não tinha a intenção de fazer isso.

Eu queria mostrar a sola do sapato como um sinal de desprezo por alguém que ganha tanto dinheiro e ainda quer aumentar a passagem daqueles incapacitados, disse. Também falou que o governo planeja aumentar a passagem de US$ 2,00 para mais do que o dobro para os passageiros incapacitados que usam o serviço do Access-a-Ride, o que o deixou muito nervoso.

Ele disse que o gesto foi planejado pensando em Muntader al-Zaidi, o iraquiano que jogou o sapato em Bush.

Eu fui muito inspirado pela coragem do jornalista iraquiano que estava protestando contra a ocupação de seu país pelas companhias de petróleo americanas e britânicas e seus governos, disse Millies.

Ele disse que perdeu os cadarços antes de se levantar para falar. E que o documento que lhe deram o acusava de intenção de causar desordem pública.

Qual é o sentido de ter uma audição pública, disse a não ser permitir que as pessoas perturbem o meio público.


Por WILLIAM NEUMAN

Leia mais sobre transporte público

    Leia tudo sobre: transporte público

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG