Diageo usa uísque para tapar buraco em plano de pensões

Empresa que fabrica o Johnnie Walker vai dar a bebida para pagar fundo de pensão

The New York Times |

A Diageo, fabricante do uísque Johnnie Walker, encontrou uma forma inovadora para tapar um buraco em seu plano de pensões: deixar dois milhões de barris de uísque envelhecendo em suas destilarias na Escócia.

A Diageo afirmou na última semana que irá transferir a propriedade de US$ 645 milhões em uísque para uma parceria fundos de pensão.

Os funcionários da Diageo não irão receber as suas pensões em uísque ao invés de dinheiro, mas a medida lhes dá uma garantia de que não irão embora de mãos vazias caso a empresa não tenha como pagá-los.

"Uma parceria de fundos de pensão será formada e terá como ativo o uísque em processo de envelhecimento", anunciou a Diageo, que também faz a cerveja Guinness e a vodca Smirnoff.

Como parte do acordo, a Diageo concordou em pagar à parceria de fundos de pensão US$ 37 milhões por ano, vendendo o uísque recentemente destilado assim que tiver amadurecido, em três anos, e substituindo-o com uma nova reserva.

O acordo termina em 15 anos, quando a Diageo irá comprar o uísque de volta de destilarias como a Oban, na costa oeste da Escócia.

Déficits de pensão

As empresas estão buscando novas maneiras de reduzir os seus déficits de pensão, que aumentam conforme as pessoas vivem mais tempo.

A cadeia de supermercados britânica Sainsbury disse no início deste ano que iria transferir propriedades como veículos para o pagamento de pensões, enquanto a Whitbread concordou em ceder parte de seu portfólio de hotéis e restaurantes para o mesmo fim. Em março a empresa de investimento Man Group moveu alguns ativos para um fundo como segurança para o seu plano de pensão britânico.

"Nós estamos vendo um grande crescimento na utilização de bens como financiamento para as pensões", disse Marc Hommel, líder da prática de pensões da PricewaterhouseCoopers em Londres. "Há grandes déficits de pensão e grandes empresas sem dinheiro. Estes mecanismos oferecem segurança para os planos de pensão em troca de menos dinheiro".

O déficit de pensão da Diageo chegava a US$ 1,3 bilhão no início de abril. A empresa também disse que transferiu US$ 300 milhões para o plano de pensões. A Diageo espera que o novo regime de pensões seja "amplamente neutro no fluxo de caixa" e não tenha qualquer impacto no valor dos seus ativos líquidos, disse.

* Por Julia Werdigier

    Leia tudo sobre: uísqueplano de pensão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG