Deus, armas de fogo e América se reúnem em igreja de Kentucky

LOUISVILLE, Kentucky - Algumas das pessoas sentadas nos bancos da Igreja Nova Belém na noite de sábado, com suas armas de fogo ao lado, vêem a si mesmas como pioneiras dos tempos modernos.

The New York Times |

"Este país começou com as pessoas se reunindo em igrejas e reclamando dos impostos e do governo do Rei George 3º, além de falar sobre as armas que tinham", disse Chesley Kemp, 61, médico de família dono de uma Kimber .45 Auto.

Kemp disse que dirigiu duas horas de Bowling Green para participar desta celebração às armas na igreja, que, segundo os organizadores do evento, parece ser a primeira de sua espécie, pelo menos nos tempos modernos.

O espírito pioneiro permeou uma celebração de 90 minutos comandada por Ken Pagano, pastor da igreja Assembleia de Deus, para quem Deus, armas e a América fazem parte de um mesmo pacote.


Pastor Ken Pagano na igreja...


... e treinando tiro com suas armas / Fotos: NYT

"Se não fosse por uma crença profunda em Deus e nas armas, este país não estaria aqui hoje", declarou Pagano do púlpito da igreja. Os cerca de 180 fieis da congregação responderam com "améns".

Pagano disse que o evento não era um serviço de adoração, mas a certa altura ele não resistiu a erguer ambas as mãos e abençoar os presentes. "Vocês se tornaram minha paróquia", ele disse. "Eu rezo para que o Senhor os abençoe e olhe por vocês".

Pagano, 49, também transmitiu sua mensagem com algumas piadas, músicas e o sorteio de um rifle Ruger. O Monitor de Ciência Cristã qualifica o evento como um "Especial de Sábado à Noite".

Muitos na plateia disseram que não são membros da igreja. Mas eles pareceram unidos na crença de que seus direitos como donos de armas estão sob ameaça.

"Está chegando um momento no qual precisaremos nos proteger das coisas ruins do mundo", disse Dawnrene Bullock, 43, ex-enfermeira. "Nós ouvimos os rumores sobre a restrição ao porte de armas para que as pessoas não possam se proteger".

Outro tema dominante foi a auto-defesa. Tommy Hillerich, 68, caminhoneiro aposentado, e Maya, 58, sua mulher, ex-metalúrgica, não trouxeram suas armas mas acreditam firmemente no seu direito de fazer isso.

"Eu não vejo nada errado em se ter uma arma carregada aqui", disse Hillerich. "Se o pastor tiver uma arma escondida ali e alguém entrar atirando nas pessoas ele pode nos defender. Esse é o seu direito". Ele acrescentou: "Eu acho que todos deveriam andar armados".

Leia mais sobre armas

    Leia tudo sobre: armasestados unidosigreja

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG