Destroços da guerra modificam paisagem da Líbia

Estradas com caminhões destruídos, veículos queimados, carros abandonados e escombros transformam cidades do país

The New York Times |

O ataque parecia ter caído do céu claro direto no campo de flores silvestres. Espalhados pela paisagem, cerca de 30 quilômetros ao sul de Benghazi, os detritos dos ataques aéreos aliados ofereciam um panorama da destruição: tanques carbonizados e destruídos, suas torres de tiro explodidas, com um corpo ainda preso em seus restos; um pequeno caminhão Toyota com seu telhado arrancado, um transportador de tanques ainda em chamas.

Mas não parou por aí. Ao longo de quilômetros que levam ao sul do país, as estradas estavam cheias de caminhões e carros civis queimados. Em alguns lugares, carros de combate haviam sido simplesmente abandonados intactos e suas tripulações, fugido.

AP
Rebeldes líbios são vistos através de bandeira líbia pré-Kadafi
Uma coisa, no entanto, parecia evidente: as unidades mais próximas de Benghazi pareciam ter sido atingidas com os seus canhões e metralhadoras ainda apontando para a capital rebelde. Ao sul, porém, muitos foram atingidos enquanto se afastavam da cidade em uma corrida precipitada para escapar da destruição e seguir o longo caminho que conduz a uma Tripoli distante.

"Eles estavam recuando", disse o coronel Abdullah Al-Shafi, um oficial das forças rebeldes, que pediu desesperadamente a ajuda dos aliados. "Os soldados pegaram carros civis e fugiram. Eles estavam bastante prejudicados por sua fadiga”.

Entre tudo isso, em uma área do tamanho de quatro campos de futebol pontilhada por árvores e flores brancas e amarelas, centenas de líbios solenemente varriam os escombros no domingo, analisando os resultados de uma última batalha no ataque de Muamar Kadafi a Benghazi, a capital rebelde do país.

Através dos escombros não foi possível determinar todos os detalhes da batalha final, e pairavam sobre o massacre perguntas como: Será que os insurgentes da Líbia derrotaram os combatentes leais ao ditador em alguns lugares, como alegaram no noticiário? Ou os danos foram exclusivamente resultado dos ataques aéreos aliados?

Pelo menos parte da resposta ficou evidente no espaço aéreo do país, onde jatos podiam ser vistos em toda a região – alguns circulando nas proximidades, alguns fazendo barulho a caminho de outro lugar.

Ataques

Enquanto os comandantes aliados afirmam que as defesas aéreas do governo líbio foram gravemente danificadas, ficou claro que os ataques também entraram em uma nova fase, na qual alvos terrestres específicos estão sendo caçados por aviões aliados.

Diante desse cenário, no domingo, não ficou imediatamente claro se a defesa leal de Kadafi, agora reduzida a cinzas, ainda avançava ou estava encenando sua posição neste lugar na rodovia. Os soldados pareciam ter tentado usar uma escavadeira para fechar a rodovia com terra.

Mas, dada a distância de Benghazi, ficou claro que as forças de Kadafi haviam se posicionado pelo menos para cercar a cidade ou, eventualmente, reforçar as unidades avançadas que já estavam lá.

*Por Kareem Fahi

    Leia tudo sobre: protestosbenghazilíbiakadafimundo árabe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG