Descoberta de fóssil desafia teorias sobre Tiranossauro Rex

Paleontologistas anunciaram na quinta-feira ter descoberto o que parece ser uma miniatura de Tiranossauro Rex completo, com a enorme cabeça, mandíbulas poderosas, pernas longas e - como qualquer estudante sabe - braços pequenos que são característicos do rei dos dinossauros.

The New York Times |

Mas esta versão menor, que teve aproximadamente 2m75 e pesava apenas 70 quilos, viveu 125 milhões de anos atrás, aproximadamente 35 milhões de anos antes dos gigantescos Tiranossauros dominarem a Terra. Portanto, a descoberta questiona teorias sobre a evolução do T.Rex, que era cerca de cinco vezes maior e quase 100 vezes mais pesado.

The New York Times

Fóssil pode mudar teoria dos "gigantes"

"A ideia era que as características do Tiranossauro evoluíram como consequência do tamanho grande de seu corpo",  explicou Stephen L. Brusatte do Museu Americano de História Nacional, autor de um estudo que descreve o dinossauro e foi publicado online pelo jornal Science. "Eles teriam modificado todo seu esqueleto para que pudessem funcionar como predadores com o seu tamanho colossal".

O novo dinossauro, batizado de Raptorex kriegsteini, "realmente coloca questionamentos sobre este padrão", disse Brusatte.

O fóssil quase completo foi encontrado no nordeste da China e comprado por um colecionador, Henry J. Kriegstein, que alertou Paul C. Sereno, paleontólogo da Universidade de Chicago e principal autor do estudo. O fóssil, que foi escavado ilicitamente, será devolvido a um museu da China.

Sereno disse que o fóssil pertence a um jovem adulto, de cerca de 5 ou 6 anos e perto do final de seu período de crescimento. Além da enorme cabeça, mandíbulas e pernas, ele tinha tíbias longas e pés longos e comprimidos que o ajudavam a correr mais rápido atrás de dinossauros menores e outras presas.

"Nós vemos tudo isso, para nossa surpresa, em um animal que é basicamente do tamanho e peso de um humano", disse Sereno.

O Raptorex, como o T. Rex, matava os animais com seus dentes e mandíbulas. Os braços não eram usados para atacar suas presas. Na verdade, segundo Sereno, ao longo do tempo os braços atrofiaram conforme a cabeça ficava maior. "Este é um animal ágil e rápido", ele disse. "Ao acrescentar muito peso ao topo do corpo, algo teria que ser diminuído. O que diminuiu foram os braços."

Thomas R. Holtz Jr., paleontólogo da Universidade de Maryland que não esteve envolvido no trabalho, disse que descoberta ajuda a "esclarecer a origem das características físicas dos Tiranossauros".

Holtz, que alertou que os resultados precisam ser independentemente confirmados, disse que havia um vão na árvore genealógica dos Tiranossauros entre os primitivos de pernas relativamente curtas e braços longos e os gigantes posteriores com características opostas. "Esta descoberta esclarece a sucessão", ele disse.

Leia mais sobre dinossauros

    Leia tudo sobre: dinoshistóriathe new york times

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG