Democratas criticam a estratégia de McCain para o Iraque

FILADÉLFIA ¿ A campanha eleitoral prosseguiu nessa quarta-feira quando os apoiadores do senador Barack Obama atacaram as declarações do senador John McCain, que acusou o oponente de estar sendo insensível com os sacrifícios feitos pelos soldados americanos no Iraque.

The New York Times |

  • Veja o número de delegados de cada candidato
  • Entenda os próximos passos da disputa
  • Saiba tudo sobre a corrida à Casa Branca
  • Em entrevista ao programa Today da NBC, McCain foi questionado sobre uma estimativa mais positiva de quando as tropas americanas poderiam ser retiradas do Iraque já que, como o senador vem defendendo, as tropas estariam trabalhando muito bem.

    "Não, isso não é tão importante, respondeu McCain. Depois, ele prosseguiu dizendo, como fez inúmeras vezes, que a coisa mais importante a ser conquistada no Iraque é redução do número de soldados mortos, e que as tropas  americanas permaneceram na Coréia do Sul, Japão e Alemanha sem nenhum temor.

    "Nós seremos capazes de deixar o país, ele disse. Mas a principal questão é que não queremos mais soldados americanos feridos.

    Em respostas às declarações de McCain, a campanha de Obama organizou uma coletiva para jornalistas com o senador John Kerry de Massachusetts, o indicado Democrata em 2004, e dois conselheiros de Obama para assuntos estrangeiros.

    "É inacreditavelmente fora de sintonia com as necessidades e preocupações dos americanos, particularmente dos familiares dos soldados que estão no Iraque, disse Kerry. Para eles a retirada é a coisa mais importante do mundo.

    Pouco depois, McCain, durante um encontro com 500 pessoas no Centro Nacional da Constituição na Filadélfia, apelou para que sejam reconhecidos os sacrifícios que a guerra demandou. 

    "Nada é mais precioso que os americanos, e eu sei que isso causou grande pesar e dor, disse McCain, mas eu também quero dizer que com a nova estratégia no Iraque nós estamos progredindo.

    "Todo Americano é precioso, cada perda nos faz sofrer, e não causa mais dor que a um veterano de Guerra, disse o senador que passou cinco anos como prisioneiro de guerra no Vietnã. Mas as conseqüências de um fracasso poderia causar o caos e o genocídio na região.

    Por KATE ZERNIKE

    Leia mais sobre: eleições dos EUA

      Leia tudo sobre: eleições nos euamccainobama

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG