Decepção com Dream Act deixa estudantes mais ansiosos nos EUA

Cerca de 1,2 milhões de jovens imigrantes ilegais, que poderiam ter se beneficiado do projeto, se veem agora em meio a limbo

The New York Times |

Foi emocionante para Maricela Aguilar se posicionar na escadaria do Tribunal Federal local de Milwaukee no verão passado e revelar publicamente pela primeira vez que ela é uma imigrante ilegal.

"É uma questão de perder a vergonha de quem você é", disse Aguilar, uma estudante universitária que nasceu no México, mas vive nos Estados Unidos sem documentos legais desde que tinha 3 anos de idade.

The New York Times
Maricela Aguilar vive nos Estados Unidos sem documentos legais desde que tinha 3 anos
Aqueles foram momentos inebriantes para milhares de estudantes imigrantes que declararam sua situação irregular durante uma campanha nacional a favor de um projeto de lei no Congresso que teria que colocá-los em um caminho para a residência legal.

Em dezembro, o projeto, conhecido como Dream Act, foi aprovado pela Câmara dos Representantes, mas em seguida fracassou no Senado. O presidente Barack Obama insistiu no seu discurso sobre o Estado da União e em entrevistas posteriores que quer lidar com o projeto de novo este ano.

Mas, com os republicanos que se opõem veementemente à essa legislação, em cargos cruciais em comissões na nova Câmara, mesmo os mais otimistas, como Aguilar, acreditam que suas chances são quase nulas nos próximos dois anos.

Isso deixa os estudantes como ela, que poderiam ter se beneficiado do projeto de lei – um número estimado de 1,2 milhões em todo o país – em um limbo legal.

O presidente disse que apoia a sua causa e oficiais de imigração dizem que estudantes imigrantes ilegais sem antecedentes criminais não estão entre suas prioridades para a deportação.

Autoridades federais de imigração, no entanto, removeram um número recorde de imigrantes do país no ano passado - cerca de 393 mil -, enquanto as polícias locais estão expandindo rapidamente o seu papel na repressão à imigração ilegal. Os estudantes, muitas vezes, acabam sendo pegos.

Republicanos que conduzirão o seu partido na Câmara sobre assuntos de imigração dizem que estudantes imigrantes ilegais não devem ser poupados da deportação.

O deputado Lamar Smith, do Texas, presidente do Comitê Judiciário da Câmara, liderou a oposição ao Dream Act em dezembro chamando o projeto de lei de "pesadelo americano", algo que permitiria que imigrantes ilegais tirassem as vagas de americanos nas faculdades públicas.

Os imigrantes ilegais também enfrentam novas restrições que muitos Estados estão impondo ao acesso à educação pública, carteiras de habilitação e empregos.

E para aqueles que, como Aguilar, revelaram sua situação irregular no ano passado, não há mais como voltar para as sombras.

*Por Julia Preston

    Leia tudo sobre: dream actestudantesimigrantes ilegaiseua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG