Tamanho do texto

O senador Barack Obama se mostrou um ótimo orador em inúmeras ocasiões. Sua habilidade em debates, no entanto, demonstra instabilidade.

Algumas de suas principais virtudes (sua facilidade com as palavras, seu desprendimento irônico, sua capacidade de argumentação, seu estilo jovem) nem sempre o favorecem e podem representar vulnerabilidades significativas na série de debates presidenciais que terá início nesta sexta-feira, de acordo com especialistas políticos e uma análise de sua performance em debates anteriores.

Obama tem tendência a intelectualizar demais e adotar um tom acadêmico, refletindo seu treinamento como advogado e professor de direito. Ele demonstra desdém em relação à ironia e aos ataques que são comuns nos debates políticos, mas que também se tornaram o principal motivo de zombaria destes encontros. O candidato tende à seriedade sem humor quando a platéia espera paixão e personalidade.

Ele frequentemente plana acima da miríade de combates políticos quando a batalha pede envolvimento.

Isso pôde ser percebido mais claramente no mês passado, durante um fórum na Igreja Saddleback, onde ele e o senador John McCain foram entrevistados juntos pelo pastor evangélico Rick Warren. Obama deu respostas longas e explicativas sobre questões difíceis como o aborto e moral pessoal, enquanto McCain roubou o show com piadas realistas e muito humor.

"Obama claramente sabe como flutuar como uma borboleta", disse Alan Schroeder, que estuda a relação da mídia com a presidência na Universidade Northeastern, "mas precisa aprender a picar como uma abelha".

Aqueles que acompanharam sua performance durante a longa temporada de primárias afirmam que ele melhorou muito, mas ainda não aperfeiçoou a forma.

"Durante aqueles 18 meses ele aprendeu a responder de forma mais curta e direcionada", disse Howard Wolfson, principal conselheiro da senadora Hillary Rodham Clinton que ajudou a prepará-la para a dezena de debates que teve com Obama e outros candidatos democratas. "Eu acho que seu comando dos fatos, números e ironias melhoraram muito".

Um dos piores momentos de Obama aconteceu no primeiro debate democrata, na Carolina do Sul, em abril de 2007. Os candidatos foram questionados como reagiriam a uma série de ataques terroristas.

Obama respondeu de forma vaga citando reações de emergência, falhas no sistema de inteligência e a importância de engajar a "comunidade internacional". Ele teve que pedir uma segunda chance para responder que iria atrás dos terroristas.

- JOHN M. BRODER

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.