Danos causados pelo furacão Ike podem prejudicar seguradora estatal

O furacão Ike causou danos de cerca de US$ 16 bilhões, de acordo com alguma estimativas, mas a seguradora estatal que irá pagar por grande parte do estrago tem apenas US$ 2,3 bilhões disponíveis, o que fará com que o governo do Texas tenha que arcar com bilhões de dólares em solicitações.

The New York Times |

As seguradoras comerciais deixaram de oferecer cobertura de furacões para propriedades da Costa do Golfo depois que o Katrina e o Rita, em 2005, custaram bilhões de dólares em restituições e o aumento no valor das propriedades os deixou expostos.

A resistência destas seguradoras fez com que muitos proprietários da região se voltassem às companhias estatais, como a Associação de Seguros Windstorm do Texas, como último recurso.

Milhares de proprietários residenciais e comerciais compraram seguros com cobertura de furacões desta seguradora estatal nos últimos anos. A companhia tem cerca de 225 mil segurados, um aumento dos 68 mil de 2001. Uma propriedade na zona de risco de furacões foi avaliada em cerca de US$ 895 bilhões em 2007, um aumento de 24% em relação a 2004, de acordo com o Instituto de Informação de Seguros.


Furacão Ike deixa destruição e prejuízo no Texas / Reuters

Observadores fiscais do Texas, Estado que teve sobra orçamentária no último ano, alertavam há algum tempo que os riscos da seguradora estatal aumentou mais rapidamente do que suas finanças e que um ajuste central deveria ter sido feito antes que um desastre como o Katrina atingisse o fundo. Medidas na legislatura falharam porque não se conseguiu acordo sobre quanto do custo deveria ser distribuído pelas pessoas com casas e negócios na costa.

Agora que um furacão de impacto significativo atingiu a região, a questão terá que ser debatida o quanto antes.

"Agora ficou claro que a Legislatura terá que fazer algo, porque a questão já não é hipotética", disse Jim Oliver, chefe executivo da Associação de Seguros Windstorm, companhia privada apoiada pelo Estado. "Isso pode acontecer novamente na semana que vem, meu Deus".

Apesar do furacão Ike não ter gerado ondas de seis metros sobre o canal Houston, o que algumas autoridades acreditavam ser possível, ele danificou grandes hotéis, condomínios de alto padrão e outras moradias e negócios na ilha Galveston e ao longo da costa.

Por causa da resistência das financiadoras comerciais no mercado costeiro, cerca de 60% dos custos com seguros em Galveston serão cobertos pela associação estatal.

Por  MARY WILLIAMS WALSH

Leia mais sobre Ike

    Leia tudo sobre: ike

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG