Daniel Carasso, pioneiro do iogurte, morre aos 103 anos

Daniel Carasso, que ajudou a transformar o iogurte, de uma obscura comida étnica, em um artigo de consumo internacional por meio da marca Danone, na Europa, e Dannon, nos EUA, morreu neste domingo, em sua casa em Paris. Ele tinha 103 anos.

The New York Times |

A morte foi anunciada pelo Grupo Danone, da qual Carasso era presidente honorário.

A Danone deve quase tudo a Carasso, incluindo o nome. Quando seu pai, Isaac, criou o iogurte em Barcelona, em 1919, ele o nomeou por causa de seu filho, cujo apelido em Catalão é Danon, ou Danny.

Dessa pequena operação inicial, Daniel Carasso desenvolveu um negócio global, começando na França em 1929, expandindo para os EUA durante a Segunda Guerra Mundial e eventualmente atingindo mercados tão amplos como o México, o Brasil e Marrocos. Meu sonho era tornar a Danone uma marca mundial, disse ele em uma coletiva de imprensa em abril, ao celebrar o 90º aniversário da Danone.

Carasso nasceu em Thassalonika, na Grécia, onde a família sefaradi tinha quatro séculos de vida, logo depois que os judeus foram expulsos da Espanha. Em 1916, seu pai levou a família de volta à Espanha, onde ficou perturbado pela alta incidência de distúrbios distúrbios intestinais, especialmente entre crianças.

Isaac Carasso começou a estudar o trabalho de Elie Metchnikoff, o microbiólogo russo que acreditava que o corpo humano poderia estendido ao introduzir lactobacilos, encontrados no iogurte e no leite coalhado, no sistema digestivo. Usando culturas desenvolvidas pelo Instituto Pasteur em Paris, Isaac começou a produzir Danone.

Naquela época, o iogurte era exótico. Embora uma comida tradicional na Grécia, no Oriente Médio e no sul da Europa e grandes partes da Ásia. Em todos os outros locais, ele era conhecido apenas por uma pequena parte da população de pessoas da moda saudável. Primeiro, o Danone foi comercializado como uma comida saudável e vendido sob prescrição, em farmácias. Gradualmente, ele encontrou vantagem por ser um produto do leite que não estraga no calor.

Em 1923, Daniel Carasso se inscreveu na escola de administração em Marselha e, o melhor para entender o iogurte, participou de um curso de treinamento em bacteriologia, no Instituto Pasteur.

Em 1929, ele estabeleceu a bandeira da Danone na França, bem no momento em que a economia mundial estava em queda. Eu mal percebi que havia uma crise financeira nascendo ao meu redor, disse ele na coletiva de abril. Eu estava muito concentrado em tentar encontrar lojas laticínios para vender meu produto.

Seus esforços foram recompensados, pois os franceses aderiram a essa comida moderna, mas em 1941, a chegada dos nazistas o forçou a fugir para os EUA. Lá ele formou uma parceria com dois amigos da família, Joe Metzger, negociante espanhol nascido na Suíça, e seu filho Juan, cujo talento para comercializar tornaria a Danone um nome familiar nos EUA.

Carasso e Metzgers compraram a Oxy-Gala, uma pequena companhia grega de iorgurte, no Bronx, e em outubro de 1942 começaram a produzir iogurte sem sabor em garrafas de vidro de quase meio litro, sob o nome americanizado de Dannon.

Os consumidores pagavam 11 centavos e uma garantia de três centavos. Juan ficou desapontado com os ganhos. Conseguimos apenas US$ 20 por dia, mas mesmo assim ainda éramos a maior das duas companhias no mercado, disse Juan Metzger, que morreu em 1998, à revista People, em 1980 (Joe Metzger morreu em 1965).

A pequena empresa operou com baixos custos até 1947, quando, entregando-se ao gosto dos americanos por doce, geléia de morango foi adicionada ao iogurte. As vendas dispararam, novos sabores foram adicionados a linha de produtos, e o iogurte Danone deu um salto dos produtos especiais para uma refeição ligeira e sobremesa. Em 1959, a companhia comprou a Beatrice Foods.

Carasso retornou à Europa após a guerra, para recomeçar a Danone na Espanha e na França. Então ele embarcou em uma campanha agressiva para estender os negócios estabelecendo fábricas da Danone em outros países e surgindo com outras empresas de alimentos. Ele adquiriu a companhia de queijo fresco Gervais, em 1967, e, em 1973, uniu-se com a fabricante de garrafas BSN, que tinha interesse em expandir seu lado alimentício de seus negócios.

A nova companhia, BSN-Gervais Danone, comprou a Danone da Beatrice Foods, em 1981, e mudou seu nome para Grupo Danone, dois anos depois. Um dos maiores conglomerados alimentícios da França, com uma revenda de quase US$ 19 bilhões em 2008, está em primeiro lugar no ranking de vendas de produtos do leite frescos e a segunda em vendas de água engarrafada e comidas de bebê. Carasso deixou uma filha, Marina Nahmias, quatro netos e seis bisnetos.


Leia mais sobre Danone

    Leia tudo sobre: danone

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG