Crítico da guerra do Iraque é escolha de Obama para Assuntos de Veteranos

CHICAGO ¿ O presidente-eleito Barack Obama escolheu o general aposentado Eric K. Shinseki para ocupar o cargo de secretário do Departamento de Assuntos de Veteranos de Guerra, promovendo o ex-chefe do grupo de apoio do Exército Americano que foi caluniado pelo governo Bush. Nas vésperas da guerra do Iraque, Shinseki avisou que seriam necessárias mais tropas que o número de soldados do que o Pentágono estava se comprometendo.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Em sua escolha por Shinseki, que Obama anunciou no domingo, o presidente-eleito levou para seu gabinete alguém que simboliza, como ele tanto procura, a ruptura com o governo Bush no quesito segurança nacional.

Shinseki, testemunhando no Congresso em 2003, um mês antes dos EUA invadirem o Iraque e derrubarem o regime de Saddan Houssein, disse que dezenas de centenas de soldados seriam necessários para estabilizar o Iraque depois da invasão. Em palavras que seriam validadas pelo tempo, o general antecipou as tensões étnicas que poderiam trazer problemas, adicionando, e então, faz-se necessária a presença de uma grande força para manter um ambiente de segurança.

O depoimento irritou Donald H. Rumsfeld, o secretário de Defesa da época, cujos planos previam menos tropas. O vice-secretário de Humsfeld, Paul D. Wolfowitz, repreendeu publicamente as declarações de Shinseki, classificando-as como sem sentido, pois os americanos seriam tratados como libertadores. 


Shinseki (D): ruptura de Obama com a gestão Bush  / NYT

Nos anos seguintes os americanos lutaram contra os insurgentes étnicos e o presidente Bush concordou em janeiro de 2007 com o envio de mais tropas ao Iraque. Shinseki foi efetivamente inocentado e autoridades militares, assim como políticos e ativistas, o saudaram publicamente. Entretanto, desde então Shinseki foi marginalizado na junta do grupo de apoio e foi silenciosamente aposentado do exército.

Em entrevista ao programa Meet the Press da rede NBC no domingo, Obama foi questionado sobre as estimativas antecipadas de Shinseki, e disse: Ele estava certo.

Ao mesmo tempo, Shinseki criticou-se por não ter pressionado mais agressivamente pelo envio de mais tropas ao Iraque antes do início da guerra. Em entrevista à revista Newsweek no início de 2007, ele disse sobre as críticas, com sua característica brevidade: Provavelmente estavam certas. Esse não é o meu estilo. No passado, ele disse aos seus associados: Eu não quero criticar enquanto meus soldados estão sangrando e morrendo no Iraque.

Quando outros oficiais aposentados pediram que Rumsfeld se desculpasse publicamente, Shinseki não pediu.

O acontecimento controverso fez crescer a popularidade de Shinseki entre os soldados no Iraque e veteranos dos conflitos que se ressentiram com o que eles chamaram de resistência inadequada das tropas. Ao assumir o Departamento de Assuntos de Veteranos de Guerra, Shinseki herda uma agência que luta contra o crescente número de veteranos com sequelas físicas e mentais vindos do Afeganistão e Iraque, assim como veteranos de outros conflitos que estão envelhecendo.

Shinseki, 66, que é o militar asiático-americano melhor posicionado até hoje, também comandou as forças de paz da Otan na Bósnia. Como Obama, o general nasceu no Havaí. Ele é veterano da guerra do Vietnã, onde sofreu sérios ferimentos e perdeu parte dos pés.

Por JACKIE CALMES

Leia mais sobre Barack Obama

    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG