Crise econômica pode favorecer ratos e baratas nos EUA

NOVA YORK - Prepare-se para mais notícias divertidas: as recessões, aparentemente, ainda que ruins para os humanos, são boas para ratos e baratas.

The New York Times |

Veteranos no setor do controle de pragas disseram que seus clientes, tanto residenciais quanto comerciais, parecem estar sacrificando a vistoria costumeira.

Robert Agatowski, da Control Exterminating Co. de Manhattan, lembrou uma ligação que recebeu recentemente de um cliente.

"Ele disse: 'É simples. Eu não sei se teremos dinheiro para o aluguel ou para os salários'", disse Agatowski. "'Então isso significa que não precisaremos dos seus serviços. Nós pisaremos sobre os insetos e chutaremos os ratos'. A exterminação se tornou quase um luxo".

Ele e outros exterminadores entrevistados esta semana foram cuidadosos em não citar nomes.

"As pessoas estão economizando nas coisas pequenas", disse Gil Bloom, da Standard Pest Management do Queens. "Monitorar o controle de pragas significa simplesmente prevenir o aparecimento de pragas. Não se trata de matar o que está lá hoje. Um rato, um mês depois, pode facilmente ser uma dúzia de ratos".

Alguns exterminadores disseram que estão ocupados demais para sentir a diminuição nos serviços contra ratos e baratas. "Os negócios estão um pouco lentos, mas ainda estão acima do linha da água por causa dos problemas com percevejos", disse Leonard Douglen, diretor executivo da Associação de Gerenciamento de Pragas de Nova York, Nova Jersey e Pensilvânia. "Eu me preocuparia se as pessoas começassem a cortar este serviço porque ele é essencial. Especialmente na cidade de Nova York".

Os restaurantes também não têm muita opção: se uma inspeção localizar pragas ou evidência delas, como os restos de roedores, as multas são altas.

"Eles acabam gastando o mesmo que gastariam se mantivessem o local em dia", disse Jeff Eisenberg, presidente do PestAway Exterminating de Manhattan. "Você quer trocar o óleo do carro regularmente ou quer ter que gastar US$700 em um motor?"

Até então, tudo bem: oficiais de saúde da cidade reportaram uma pequena queda nas violações relacionadas às pragas das inspeções do último quadrimestre de 2008, em relação ao mesmo período em 2007.

Os exterminadores disseram que ainda é muito cedo para culpar uma queda no serviço unicamente na recessão, uma vez que o inverno é geralmente a época em que há menos trabalho. "Eu faço isso há 17 anos, então conheço os ciclos", disse Eisenberg. "Eu não entro em pânico..."

Por MICHAEL WILSON


Leia mais sobre recessão

    Leia tudo sobre: recessão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG