Crimes diminuem, mas mortes de policiais aumentam nos EUA

Dados divulgados pelo FBI mostram que 72 policiais foram mortos em 2011, um aumento de 75% desde 2008

The New York Times |

À medida que o número de crimes violentos diminui nos Estados Unidos, uma tendência preocupante aparece: o aumento no número de policiais mortos.

De acordo com estatísticas compiladas pelo FBI, 72 policiais foram mortos por agressores em 2011, número que representa um aumento de 25% e relação ao ano anterior e de 75% desde 2008.

Leia também: Crimes antissemitas em NY provocam lembranças dolorosas

NYT
Arma encontrada após tiroteio que feriu quatro policiais em Nova York, nos EUA (08/04)

As mortes de 2011 marcaram a primeira vez que mais policiais foram mortos por suspeitos do que em acidentes de carro, de acordo com dados compilados pela Associação Internacional dos Chefes de Polícia. O número foi o maior em quase duas décadas, com exceção dos que morreram nos ataques de 11 de Setembro de 2001 e no atentado de Oklahoma em 1995.

Enquanto a maioria dos policiais morreu em cidades menores, 13 foram mortos em cidades com mais de 250 mil habitantes. Nova York perdeu dois policiais no ano passado e, no domingo, quatro foram feridos por um atirador no Brooklyn, elevando para oito o número de policiais atingidos por armas de fogo na cidade desde dezembro.

"Não víamos este tipo de violência há muito tempo", disse o comissário Raymond W. Kelly, do Departamento de Polícia de Nova York.

Leia também: Declínio constante no número de crimes nos EUA supreende especialistas

Enquanto o FBI e outras autoridades não conseguem explicar os motivos para o aumento dos assassinatos de policiais, está claro que eles têm consequências devastadoras.

"Neste trabalho é assim: quando você coloca o distintivo no peito e sai de casa, não há garantias de que irá voltar", disse o xerife Ray Foster, do Condado de Buchanan, Virgínia. Dois de seus auxiliares foram mortos em março de 2011 e dois outros foram feridos por um homem com um rifle de alta potência.

Depois de uma série de assassinatos no início de 2011, o procurador-geral Eric H. Holder Jr. pediu que as autoridades federais trabalhassem junto com os departamentos de polícia locais para tentar encontrar soluções para o problema.

O FBI, que registra as mortes de policiais desde 1937, pagou por um estudo conduzido pela Faculdade John Jay que revelou que em muitos casos os policiais estavam tentando parar ou deter um suspeito que já havia sido preso anteriormente por algum crime violento.

Nos três primeiros meses deste ano, o número de mortes caiu, embora não esteja claro o motivo.

Por Michael S. Schmidt e Joseph Goldstein

    Leia tudo sobre: euapoliciaismorteviolênciacrimes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG