Crianças: bactéria ligada a taxas mais baixas de asma

Bactérias comuns que viveram em estômagos humanos por gerações estão associadas com taxas mais baixas de asma infantil, dizem pesquisadores.

The New York Times |

O estudo, a ser lançado em 15 de agosto em The Journal of Infectious Diseases, não prova que a microflora, Helicobacter pylori, ajude efetivamente a proteger as crianças contra a asma. Pode ser que os asmáticos não hospedem a bactéria por outras razões.

Ainda assim, um estudo conduzido recentemente por pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Nova York e do Centro Médico de Assuntos de Idosos em Nova York, descobriu que crianças que carregavam o H. pylori tinham uma probabilidade 40% menor de contrair asma antes dos 5 anos.

E crianças com idades entre 3 e 13 anos com a bactéria tinham 60% menos chances de ter asma no período da pesquisa. O estudo se baseou em entrevistas com indivíduos e suas famílias para determinar se as crianças tinham asma.

Antibióticos matam as bactérias benéficas tanto quanto as nocivas, e pesquisas anteriores já ligaram o uso dos remédios em crianças ao maior risco de asma.

"A H. pylori está desaparecendo, e isso é um fato que provavelmente não pode ser alterado, diz o Dr. Yu Chen, principal autor do estudo. Mas é importante perceber que bactérias que viveram conosco por milhões de anos podem na verdade ter algumas qualidades benéficas.

Leia mais sobre asma

    Leia tudo sobre: asma

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG