Crescimento de energia eólica americana impulsiona mercado interno

Apesar da recessão e da situação ruim do mercado de crédito, a indústria da energia eólica americana cresceu rapidamente em 2009, acrescentando 39% a sua capacidade. O país está perto de obter 2% de sua eletricidade através de turbinas de vento.

The New York Times |

NYT
Turbinas são vistas em Sweetwater, no Texas

Turbinas são vistas em Sweetwater, no Texas

Ainda que esse seja um número pequeno, ele representa um aumento em relação a sua representação quase nula há alguns anos. O crescimento contínuo nesse ritmo pode ajudar a nação a diminuir suas emissões de gases causadores do efeito estufa responsáveis pelo aquecimento global.

A Associação Americana de Energia Eólica, em seu relatório anual que será divulgado nessa terça-feira, afirmou que o aumento da sua capacidade em 9.900 megawatts, foi a maior a ser registrada, e esteve 18% acima da capacidade acrescentada em 2008, outro ano de crescimento.

Mas o grupo alertou que o crescimento pode desacelerar. Grande parte do crescimento de 2009 veio de 2008, conforme turbinas compradas naquele ano foram entregues e concluídas. Em 2009, a recessão deixou muitos fabricantes parados, o que pode causar uma desaceleração das instalações daqui para frente.

A mesma quantidade de capacidade de geração de energia veio do vento e do gás natural no ano passado, disse Denise Bode, chefe executiva da associação.

Juntos, a energia eólica e os projetos envolvendo gás natural representaram cerca de 80% de toda a capacidade de geração de energia do país.

Mesmo assim, a indústria americana está atrás da europeia, que obtém cerca de 5% de sua eletricidade do vento. A Comissão Europeia determinou que 20% de sua produção de energia elétrica virão de fonte eólica até 2020.

Preocupações com o aquecimento global aumentaram o interesse em fontes de energia renováveis nos Estados Unidos e provocaram a criação de uma indústria doméstica que emprega 85 mil pessoas.

Hoje, cerca de metade dos componentes usados nas fazendas eólicas é feita nos Estados Unidos, em comparação com 25% em 2004, afirmou o grupo comercial.

As turbinas de vento do país geram eletricidade suficiente para alimentar o equivalente a 9.7 milhões de lares, de acordo com o relatório.

No ano passado, o estado do Texas consolidou sua liderança como o principal produtor de vento do país, com uma capacidade total de 9.410 megawatts, cerca de três vezes mais do que o segundo maior produtor, o estado de Iowa. Atrás estão Califórnia, Washington e Minnesota.

Leia mais sobre energia

    Leia tudo sobre: energiaenergia eólicanew york times

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG