Coreia do Norte leva guerra de propaganda para a internet

País usa YouTube e Twitter para fazer críticas aos líderes sul-coreanos e americanos

The New York Times |

A Coreia do Norte levou sua guerra de propaganda contra a Coreia do Sul e os Estados Unidos para a internet.

No mês passado, o país publicou uma série de vídeos no YouTube , repletos de sátira e sarcasmo contra os líderes da sul-coreanos e americanos.

Em um dos vídeos, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, é chamada de ministro “de saia” e o secretário de Defesa, Robert M. Gates, de “maníaco de guerra”, enquanto o ministro da Defesa sul-coreano, Kim Tae-young, é mostrado como um servil “cão que gosta de levar tapinhas de seu mestre americano”.

“Myung-bak está abraçando sua mãe americana”, diz o vídeo, mostrando o presidente Lee Myung-bak, president da Coreia do Sul, abraçando Clinton durante reunião em Seul no mês passado.

Essa retórica era comum no material de propaganda da Coreia do Norte na época da Guerra Fria. Sua revitalização é um testemunho do esfriamento nas relações entre as duas Coreias nos últimos meses.

Na semana passada, a Coreia do Norte também começou a operar uma conta no Twitter apelidada uriminzok , ou “a nossa nação”. Tanto a conta do Twitter quanto a do YouTube pertencem a um usuário em Pyongyang com o nome “uriminzokkiri”. O www.uriminzokkiri.com é um site gerido pelo Comitê para a Reunificação Pacífica da Coreia, uma agência de propaganda em Pyongyang.

As duas Coreias concordaram em parar a guerra psicológica após a sua primeira reunião em 2000. Mas a Coreia do Sul retomou as transmissões de propaganda de rádio – que consistem principalmente na veiculação de músicas pop ocidentais e notícias internacionais – através da fronteira em maio, quando acusou o Norte de atacar um de seus navios de guerra, matando 46 marinheiros.

A Coreia do Norte, que nega envolvimento, prometeu retaliar. O país parece ter encontrado uma forma com o Twitter e o YouTube, cuja audiência almejada é claramente os sul-coreanos.

Durante a Guerra Fria, a Coreia do Sul punia pessoasque eram flagradas ouvindo as transmissões da Coreia do Norte. Vários anos atrás, durante o breve período de sua “Política Ensolarada” de envolvimento do Norte, o Sul permitiu o acesso de seu povo a websites do Norte. Mas hoje, quando um usuário em um computador da Coreia do Sul acessa, por exemplo, uma conta de Twitter da Coreia do Norte, uma advertência do governo alerta para conteúdos “ilegais”.

Choe Sang-Hun

    Leia tudo sobre: coreia do sulcoreia do norteinternet

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG