Coreanos disputam bairro de Los Angeles com bengaleses

LOS ANGELES - Nos últimos 30 anos mais ou menos, uma área do centro de Los Angeles se tornou o enclave de cerca de 50,000 americanos-coreanos, a maior concentração de coreanos no país. O distrito ficou conhecido como Coreiatown.

The New York Times |

Mas no mapa oficial da cidade, não se encontra o Coreiatown porque até 2006 Los Angeles não tinha um processo formal para designar bairros, seja os reconhecidos ou os pouco conhecidos. Grupos cívicos coreanos dizem que sempre simplesmente assumiram que a área era oficialmente chamada Coreiatown.

Portanto, eles se surpreenderam quando um pedido oficial foi feito em outubro para dar nome a um uma região do coração do bairro como Pequena Bangladesh.

O pedido foi feito por um comitê da crescente comunidade bengalesa de Los Angeles e gerou uma disputa entre os dois grupos de imigrantes que refletem as complexas negociações de espaço e reconhecimento oficial de um centro urbano cada vez mais populoso.

A última contagem oficial da população bengalesa, no censo de 2000, mostrou apenas 1,700 em todo o condado de Los Angeles. Mas o cônsul do país, Abu Zafar, estima que hoje entre 10,000 e 15,000 vivam em Los Angeles e outros 25,000 no sul da Califórnia, fazendo da região a segunda maior do país a receber bengaleses, depois da cidade de Nova York.

Na região que os coreanos dizem ser o Coreiatown, muitas lojas bengalesas abriram as portas, disse Zafar, e a comunidade está crescendo como resultado da migração de outros Estados.

Moshurul Huda, memnbro do projeto Pequena Bangladesh, o comitê que pediu o nome à região, disse: "Nós só queremos mostrar nosso orgulho às gerações futuras".

Mas os coreanos têm o mesmo objetivo.

"Não queremos parecer agressivos, mas aqui é o Coreiatown", disse Chang Lee, presidente da federação Coreana de Los Angeles. "Iremos lutar por ele".

"Esta tensão étnica é nova", disse Jan Lin, professor de sociologia da Faculdade Ocidental que se especializa em enclaves étnicos. "Historicamente, sempre foram os brancos contra os novos imigrantes que se estabeleceram em bairros brancos".

Mas a tensão não surpreende, disse Lin, dada a tendência dos grupos imigrantes de viverem próximos uns aos outros. Em Hollywood, Thai Town fica dentro da Pequena Armênia. Pequena Tóquio e  Chinatown ocupam espaços distintos mas vizinhos no centro. E ruas de negócios salvadorenhos ficam ao lado do Coreiatown.

Os líderes coreanos dizem que há espaço para a Pequena Bangladesh, mas há fronteiras.

"Gostamos de abraçar outras comunidades", disse Brad Lee, membro do conselho do bairro Coreiatown, "desde que não seja no nosso quintal".

Por MIRA JANG


Leia mais sobre coreanos

    Leia tudo sobre: coreanos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG