Contribuintes pagarão menos impostos nos planos de Obama

Análises independentes das propostas de isenções fiscais dos candidatos à presidência mostram que aqueles que ganham menos de US$ 250 mil ao ano não verão um aumento nos impostos, de acordo com os planos de Obama. Além disso, o democrata ofereceria maiores cortes fiscais do que o senador John McCain para residências com rendas menores do que US$ 100 mil ao ano.

New York Times |

McCain iria cortar os impostos geralmente na mesma proporção que Obama para os contribuintes que ganham entre US$100 mil e US$250 mil ao ano, descobriram as duas análises, mas aqueles com renda maior do que US$250 mil ao ano pagariam menos impostos nos planos do republicano.

As análises foram conduzidas de maneira independente pelo grupo não partidário Centro de Política Tributária, uma união do Instituto Urbano e da Instituição Brookings, e pela gigante contadora Deloitte, a pedido do The New York Times.

McCain tem ecoado o já tradicional tema republicano dos impostos, tentando convencer os eleitores de que Obama quer aumentá-los e disseminar as riquezas como um socialista.

Com a ajuda da emergência de Joe o encanador e usando palavras do próprio Obama, McCain tem insistido que as politicas fiscais do democrata prejudicariam pequenos negócios e elevariam indivíduos, enquanto ofereceriam bem-estar social para americanos de baixa renda.

Obama tem combatido estas acusações com discursos e comerciais de tevê, chegando a pedir que membros da platéia erguessem a mão caso sua renda fosse menor do que US$250,000 ao ano. Pouco mais de 3% dos contribuintes do país ganham mais do que isso.

Mas as propostas de tributação são complicadas e afetam o contribuinte em muitas variações pessoais. Analistas do Centro de Política Tributária e da Deloitte tentaram explicar as ramificações dos planos dos candidatos ao usar suas políticas tributárias em diversas situações.

Roberton Williams, principal pesquisador do Centro de Política Tributária, disse que os analistas descobriram que: "Em média, as pessoas com renda menor do que US$ 100 mil se beneficiariam mais com Obama do que McCain. Entre US$100 mil e US$ 250 mil, a situação seria praticamente a mesma seja quem for o candidato eleito.

Para aqueles com renda superior a US$250 mil, Obama irá aumentar os impostos". De acordo com os cálculos da Deloitte, um contribuinte que ganha US$ 35 mil ao ano e não tem filhos irá receber um corte fiscal de US$500 no plano de Obama - pagando US$3,000 ao ano em impostos ao invés dos US$3,5 mil atuais. McCain não mudaria sua tributação.

Ainda assim, Clint Stretch, gerente de políticas fiscais da Deloitte, disse que "quando Obama diz que irá cortar os impostos para todas as famílias com renda menor a US$150 mil, eu diria que isso não é verdade".

- STEVEN GREENHOUSE

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG