Consulta de jurados à internet invalida julgamentos nos EUA

Na semana passada, um jurado em um grande julgamento federal na Flórida admitiu que havia pesquisado o caso na internet, violando diretamente as instruções do magistrado e séculos de regras legais. Mas quando o juiz questionou o resto do júri o choque foi ainda maior.

The New York Times |

Oito jurados haviam feito a mesma coisa. O juiz federal, William J. Zloch, não teve opção a não ser declarar o julgamento inválido, gastando oito semanas de trabalho dos promotores federais e advogados de defesa.

"Nós ficamos chocados", disse o advogado de defesa Peter Raben, que ficou sabendo pelo júri que estava perto de ganhar o caso.

O uso de BlackBerrys e iPhones por jurados que reúnem e enviam informações sobre os casos está criando problemas em todo o país.

Na semana passada, uma companhia de produtos de construção em Arkansas pediu que a corte local revertesse um julgamento de US$ 12.6 milhões contra ela depois que um jurado usou o Twitter para atualizar as pessoas sobre o julgamento civil.

"É impossível controlar isso", disse Douglas L. Keene, presidente da Sociedade Americana de Consultores para Julgamentos.

Parece não haver um número oficial para a quantidade de casos prejudicados pela pesquisa online, mas o aumento no uso de tecnologias de acesso à internet nos celulares aumenta também a prática.

Por JOHN SCHWARTZ

Leia mais sobre internet

    Leia tudo sobre: internet

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG