Conselho municipal autoriza terceiro mandato para prefeitura de NY

NOVA YORK - Na quinta-feira, o conselho municipal de Nova York autorizou que o prefeito Michael R. Bloomberg concorra à reeleição no próximo ano, votando pela revisão de uma medida que limita o número de mandatos políticos aprovada duas vezes pelos eleitores.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Numa vitória de 29 a 22 votos, membros do conselho deram a Bloomberg sua maior vitória política até então, e mudaram dramaticamente o cenário das eleições de 2009.

Ainda que medidas legais sejam tomadas nos próximos dias, muitos especialistas em leis eleitorais acreditam que a medida irá sobreviver. Isso significa que Bloomberg, dada sua popularidade e intenção de gastar US$80 milhões para permanecer no cargo, se tornará o favorito imediato da disputa.

O prefeito pressionou agressivamente por baixo dos panos por essa mudança depois de anunciar há três semanas que gostaria de permanecer no cargo e tirar a cidade das dificuldades financeiras.

Perguntado como se sentia ao saber que a medida havia sido aprovada, Bloomberg disse: "Eu tenho um sorriso no rosto e uma sensação de 'Meu Deus! Espero que saiba o que estou fazendo'. Vamos ter que passar por momentos difíceis".

Seu plano, que permitirá que membros do conselho municipal também sirvam durante três mandatos de quatro anos, atraiu mais oposição do que o previsto por Bloomberg. O prefeito apoiou o antigo limite de dois mandatos em 1993 e 1996.

Disputa acirrada

A vitória foi mais disputada do que o previsto pela maioria dos membros do conselho, que geralmente segue a vontade do prefeito.

"Esta é uma escolha difícil num momento difícil", disse Christine C.
Quinn, que ajudou o prefeito a conseguir o apoio para a lei e abandonou seus próprio plano de concorrer ao cargo em deferência a Bloomberg.

Depois, principais candidatos democratas à prefeitura Anthony D.
Weiner e William C. Thompson Jr., insistiram que irão permanecer na disputa apesar da candidatura de Bloomberg.

Alguns analistas políticos alertam que Bloomberg não deve esperar uma vitória fácil. Ainda que seu índice de aprovação esteja em torno de 70%, ele deve aumentar os impostos e diminuir os serviços no próximo ano para lidar com os problemas econômicos da cidade. Seus oponentes devem explorar o ressentimento sobre a ampliação do limite de mandatos e adotar um tom populista contra o bilionário.

O prefeito, falando aos repórteres depois da votação, tentou diminuir tais preocupações.

"Se o público não gosta do processo eles têm simplesmente que votar para alguém que não seja Michael Bloomberg", ele disse.

Por DAVID W. CHEN e MICHAEL BARBARO

Leia mais sobre Nova York

    Leia tudo sobre: nova york

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG