Congresso se reúne a partir de hoje para últimas decisões

WASHINGTON - A proposta de resgate das automobilísticas americanas passará por mais críticas a partir de hoje, momento em que o Congresso de partida se reúne para a última disputa partidária sobre a questão.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Enquanto isso, os legisladores prestes a assumir o cargo se preparam para as disputas de poder, eleições da liderança e o sabor da vida que os espera no Capitólio.

Apesar de dezenas de novos membros da Câmara e pelo menos oito novos senadores estarem sujeitos aos procedimentos de orientação e da escolha dos principais democratas e republicanos que formarão o 111º Congresso, que entra em vigor no dia 6 de janeiro, membros do 110º Congresso (muitos dos quais foram derrotados ou estão se aposentando) ainda têm trabalho pela frente este ano.

Os democratas pressionam pela aprovação de um pacote de resgate de
US$25 bilhões para a indústria automobilística sob a rejeição de muitos republicanos e do presidente Bush, que dizem favorecer algumas restrições aos empréstimos subsidiados pelo governo que já foram aprovados pelo Congresso.

"Na primeira votação depois da eleição, os líderes democratas do Congresso querem aprovar a entrega de US$25 bilhões a Detroit sem nenhuma promessa de reformas, prestação de contas ou transparência por parte das automobilísticas e seus sindicatos", disse John Cornyn do Texas.

Mas os democratas dizem que o Congresso precisa agir agora para proteger milhões de empregos que dependem de uma indústria automobilística estável. Eles prometem impor uma série de condições ao pacote e criar um comitê de fiscalização.

"Eu certamente espero que os republicanos se unam aos democratas reconhecendo os enormes desafios enfrentados pelas indústria automobilística e não deixem que elas falhem, o que colocaria em risco milhões de empregos no país e teria um impacto devastador sobre nossa economia", disse Brendan Daly, porta-voz da oradora da Câmara Nancy Pelosi.

Espera

O impasse deixa claro que qualquer resgate ao setor terá que esperar até que o presidente eleito Barack Obama tome posse no dia 20 de janeiro. A legislação com maior chance de ser aprovada esta semana pelo Congresso é uma extensão dos benefícios aos desempregados.

O resgate não é a única questão enfrentada pelos legisladores depois da eleição que ampliou o controle democrata do Congresso. Os democratas do Senado devem considerar se irão punir o senador Joseph I. Lieberman, independente de Connecticut que se alinha ao partido, por seu ardente apoio ao senador John McCain na eleição presidencial.

Além disso, os republicanos do Senado foram encorajados pelo partido a expulsar o senador Ted Stevens do Alasca por causa de sua condenação por violações éticas federais.

Por CARL HULSE

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG