Companhia faz sucesso ao espalhar otimismo nos Estados Unidos

BOSTON - Quando a temperatura local esquentou na hora do almoço no sábado, ficou quente demais até para se sorrir.

The New York Times |

No entanto, estirado no gramado de Boston Common, longe das sombras das árvores, Travis Piotrowski, diretor de tecnologia da informação do Northwestern Mutual de Milwaukee, estampava um enorme sorriso, literalmente desenhado sobre seu rosto.

Mas preste atenção, esse não era seu próprio sorriso, mas o de uma personagem chamada Jake, o mascote de uma contagiante linha de camisetas com o lema (de certa forma fora de contato com os tempos) "Life is Good" (A Vida é Boa).


Estampa da "Life is Good"; otimismo é a alma do negócio

"Eu acho que as pessoas mais felizes do mundo são aquelas que ficam felizes com as coisas simples", disse Piotrowski, que, com sua mulher e duas filhas, estava entre as milhares de pessoas presentes no parque durante um festival que promoveu a Life is Good, um dos 17 eventos do gênero em todo o país neste verão destinados à crescente legião de fãs de Jake.

Os Piotrowskis descobriram a marca quando acampavam no Wisconsin há alguns anos e desde então compraram mais de 20 camisetas, quatro canecas, pijamas e jogos que mostram o sorriso único e franco de Jake, que não parece se incomodar com a umidade, as adversidades ou mesmo com sua similaridade maior com um mímico francês (com sua boina e rosto branco) do que com um símbolo de otimismo americano.

Mas Piotrowski e sua família gostam da perspectiva de Jake sobre a vida. "Com a economia desse jeito, as pessoas realmente precisam dar um passo atrás e enxergar o cenário maior", ele disse. "Ficar feliz com um sorvete ou brincar com seus filhos no quintal".

Moda ou movimento

Fica difícil saber se Jake é uma moda ou, a julgar pela multidão, um movimento. Mais de 30 mil pessoas participaram, de acordo com a corporação Life is Good.

No ano passado, a companhia vendeu 4.2 milhões de suas camisetas de US$25 e teve vendas de cerca de US$ 107 milhões, disse Bert Jacobs, que juntamente com seu irmão, John Jacobs, fundou a companhia em Needham, Massachussets, em 1994 com apenas uma algumas poucas criações e uma van.

Eles tentavam criar "um símbolo sobre o que havia de certo no mundo", ele disse; Jake seria uma personagem "que é feliz não por causa de algo que tenha ou por ser materialista". Sua criação mais popular mostra Jake e seu sorriso sobre uma cadeira de jardim como se não existisse nada melhor na vida do que relaxar.

"As pessoas se relacionam com  esse conceito porque é simples", disse Jacobs, "e porque muito do que esta acontecendo no mundo é complexo demais".

Sorridente

Como a popularização dos broches do Smiley Face no início dos anos 1970, que coincidiu com outra crise econômica e de petróleo, as camisetas Life is Good viraram moda entre as pessoas que sentem que esses produtos passam uma mensagem positiva num mundo turbulento.

A invenção do Smiley Face é amplamente creditada a Harvey Ross Ball, um executivo publicitário de Worcester, Massachussets, que desenhou o símbolo em 1963 para incentivar os funcionários de uma companhia de seguros que havia sido comprada por outra.

Depois, o símbolo se tornou uma moda com o slogan "Have a Nice Day" (Tenha um Bom Dia) vendendo incontáveis tipos de mercadorias como uma quase subversiva mensagem contra-intuitiva que de muitas formas parece se repetir em "Life is Good" hoje.

"Os anos em que a companhia mais prosperou foram os mais difíceis economicamente, politicamente e socialmente para o pais", disse Jacobs, acrescentando que espera atingir US$135 milhões em vendas esse ano através de lojas e um website. (Além de representações em mais de 4.500 outras lojas, há cerca de 105 lojas da própria marca em aeroportos e cidades de todo o país que vendem os produtos Life is Good.) "As pessoas que enfrentam mais dificuldades são as que abraçam melhor a 'Life is Good'", ele disse.

Os festivais, que tiveram início em 2003, são extraordinários por atrair milhares de adultos (e seus filhos) para sociabilizar com animadoras de torcida de mesmo pensamento, enquanto participam de concursos populares como a corrida no saco. Os eventos também geraram mais de US$3 milhões para instituições de caridade.

Aqueles que adotaram a marca fizeram isso de coração, comprando camisetas como souvenirs de férias e colecionando as diversas criações que mostram os muitos lados de Jake: tocando guitarra, compartilhando um sorvete com seu cachorro, jogando golfe, fazendo um churrasco ou tomando cafe.

Eles compraram bonés, toalhas de praia, chinelos, pulseiras, tigelas para cachorro e vasos para plantas. Uma camiseta mostra um par de sandálias com a frase, "Nem todos que vacilam se perdem".

Obcecados

Seria justo descrever a maioria dos consumidores da marca como pessoas de família e entre elas um surpreendente número de educadores. Dawn Morris, professora de educacao especial de Wallingford, Connecticut, tem pelo menos seis camisetas e seu marido tem 15, ela disse, quando eles pararam para comprar mais uma sob uma tenda azul no festival. Tim Seston, professor do ensino médio da Concord Academy, as usa tão freqüentemente que seus alunos perguntam se tem outra coisa para vestir. Ambos foram inspirados pela mensagem positiva dos produtos, que podem ser descritos como a antítese de marcas sexualizadas como a American Apparel.

"Eu sou obcecado pela Life is Good. Nós temos a capa para o volante do Jeep e as mochilas. Temos tudo da marca. Eu tenho minha caneca Life is Good e pela manha dirijo para o trabalho com ela. Isso me lembra que as coisas não estão tao ruins".

No dia anterior, no camarote do estadio Fenway Park, Bert Jacobs falou com 42 representantes de vendas com seus bracos abertos fazendo uma sombra sobre a apresentação de PowerPoint na parede que mostrava desenhos feitos por crianças das criacoes da próxima temporada.

"Eu não vejo recessão, vejo oportunidade" disse Jacobs.

Mercado que cresce

A Life is Good esta crescendo, ele explicou, com camisetas com bolsos e camisas pólo, shorts jeans e saias, novas roupas de academia (com a frase, "energizado pelo otimismo") e uma coleção ecológica feita de fibras de cannabis e bambu ("otimista por natureza").

Mas pode ser que o que aconteceu com o Smiley Face (as pessoas ficaram cansadas do símbolo e começaram a fazer caras amarelas infelizes) aconteça com a Life is Good. Uma companhia agora vende uma linha de camisetas com a frase "Life is Cruel" (A Vida e Cruel).

Sempre haverá pessoas que vêem o copo meio vazio. Jacobs prefere acreditar em sua própria mensagem.

Leia mais sobre: otimismo

    Leia tudo sobre: otimismosmiley facesorriso

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG