Comentário: A grande solução

HONG KONG ¿ Um estranho, um empresário ocidental, sentou na cadeira ao meu lado em um almoço da Sociedade Asiática aqui em Hong Kong e me fez uma pergunta que sinceramente nunca me fizeram: ¿Então, quão corrupta é a América?¿

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Sua pergunta foi ocasionada pela prisão do operador de Wall Street Bernard Madoff acusado de gerenciar um esquema Ponzi que fraudou bilhões de dólares, mas não era só por isso. É por causa de toda a bagunça sanguinária que surge de Wall Street ¿ um centro financeiro para o qual os empresários de Hong Kong sempre tiveram como referência. Como, eles se perguntam, nomes de peso como Bear Stearns, Lehman Brothers e AIG, puderam se encrencar tanto? Onde, eles se perguntam, estava nossa Comissão de Segurança e Câmbio e o alto padrão que pregamos a eles durante todos esses anos?

Um dos mais respeitados banqueiros de Hong Kong, que pediu para não ser identificado, me disse que as empresas de investimentos americanas nas quais ele trabalhou fizeram fortuna na última década limpando bancos asiáticos em apuros. Elas fizeram isso importando o melhor das práticas americanas, particularmente os princípios do conheça teus clientes e controle estrito dos riscos. Mas agora, ele perguntou, para quem olhar em busca de liderança?

Antes, existia a América, ele disse. Os investidores americanos supostamente sabiam mais, e agora a própria América está encrencada. Para quem eles vão vender seus bancos? È difícil para a América tomar do próprio remédio que foi tão bem prescrito aos outros. Não existe mais médico. O próprio médico está doente.

Eu não tenho compaixão nenhuma por Madoff. Mas o fato é que seu suposto esquema Ponzi era apenas um pouco mais escandaloso do que o esquema legal que Wall Street estava gerenciando, abastecido pelo crédito barato, com baixo padrão e grande ambição. Como você nomeia o fato de dar a um trabalhador que ganha US$14 mil ao ano um crédito de U$750 mil sem entrada e sem parcelas por dois anos, depois fazer isso com mais outras 100 pessoas, e depois vender esses contratos a bancos e fundos de pensão ao redor do mundo? Isso é o que nossa indústria financeira estava fazendo. Se isso não é um esquema de pirâmide, é o que então?

Longe de ser construído sob as melhores práticas, esse esquema Ponzi legalizado foi montado sob corretores de títulos de hipoteca, contratos, agências de risco, vendedores de contratos e donos de imóveis, todos trabalhando sob o princípio do Eu já estarei longe quando os pagamentos atrasarem ou quando as hipotecas não forem renegociadas.

É depressivo e de arregalar os olhos olhar nossa crise e a da China. É assustador porque é difícil evitar a conclusão de que os EUA e a China estão se tornando dois países e um sistema.

Como, então? Facilmente, em meio ao nosso massivo pacote de resgate aos bancos, uma pessoa pode olhar para a China e para a América e dizer: Bem, a China tem um grande Estado que detém o setor bancário, ao lado de um sistema privado, e a América agora tem um grande Estado que detém o setor bancário, ao lado de um sistema privado. O governo chinês controla indústrias, juntamente com empresas privadas, e com Washington socorrendo Detroit, o governo americano irá controlar indústrias, juntamente com empresas privadas.

Sim, isso foi exagerado, mas a verdade é que as diferenças estão começando a desaparecer. Por duas décadas, uma comitiva de autoridades americanas vinha à China e ensinava Pequim sobre a necessidade de privatizar bancos, disse Qu Hongbin, economista chefe para a China do HSBC. Então, lentamente nós fizemos isso, e agora, de repente, nós vemos todo mundo nacionalizando seus bancos.

É depressivo porque a China de alguma maneira se sente mais segura que a América hoje, com uma clara estratégia para atravessar a crise. Apesar dos dois países estarem cada vez mais parecidos, eles possuem trajetórias históricas muito diferentes. A China enlouqueceu na década de 1970, com a Revolução Cultural, e apenas depois da morte de Mao e da ascensão de Deng Xiaoping que o país gradualmente se moveu para a direita e que está se transformando aos poucos em uma economia de mercado.

Mas enquanto o capitalismo salvou a China, o fim do comunismo parece ter enlouquecido a América. Nós perdemos nossos dois maiores competidores ideológicos ¿ Pequim e Moscou. Todo mundo precisa de um adversário. Mantém você disciplinado. Mas uma vez que o capitalismo americano não tem mais que se preocupar com o comunismo, ele parece ter enlouquecido.

Os investimentos em ações através de empréstimos elevando o risco da operação, mas também das chances de lucro, levou os bancos de investimento e fundo hedge a níveis de loucura, pagando a eles salários malucos e, mais do que tudo isso, investindo em instrumentos financeiros que desconectam completamente o último que empresta do mutuário original, e não deixando nenhum responsável.  

O colapso do comunismo pressionou a China para o centro e (a América) para o extremo, disse Ben Simpfendorfer, economista chefe da RBS da China. O esquema de Madoff é a cereja no topo de uma falência nacional nas propriedades financeiras, nas regulamentações e no senso comum. E por isso não precisamos só de um pacote de resgate financeiro; precisamos de um pacote de resgate ético. Precisamos restabelecer a balança entre nossos mercados, a ética e a regulamentação. Eu não quero matar o espírito animal que necessariamente move o capitalismo ¿ mas eu também não quero ser devorado por ele.

Por  THOMAS L. FRIEDMAN

Leia mais sobre Wall Street

    Leia tudo sobre: crise financeira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG