Comediante traz sorrisos para rostos idosos no Japão

Show de humor de Yoshihiro Kariya em Kobe custa mais de US$ 300 e busca público entre 60 e 70 anos de idade

The New York Times |

Aos 61 anos de idade, Yoshihiro Kariya exibe a energia e exuberância de alguém com a metade de sua idade, ele conta piadas enquanto caminha pelo palco vestindo um fraque vermelho com seu cabelo preso em um rabo de cavalo. A apresentação de Kariya no Japão dura uma hora e traz uma sequência implacável de humor, muitas vezes com piadas destinadas a seu público, composto na sua maioria por mulheres de 60 a 70 anos.

Pós-tsunami: Ativistas idosos de ilha japonesa resistem a usina nuclear

"Quarenta anos atrás, quando vocês se casaram, seu marido te carregou em seus braços e te levou para o quarto", disse ele durante um show recentemente. "Quando foi a última vez que isso aconteceu? 1962?", continuou ele, apontando para a plateia. “E com você, qual foi a última vez, 1960? 1956? E aquela ali? 1910? Agora é você quem o leva pela mão para o quarto. E para quê? Para trocar sua fralda geriátrica!"

NYT
Yoshihiro Kariya, mais conhecido por Kimimaro Ayanokoji, duarante apresentação em Kobe, Japão
As mulheres, que pagaram mais de US$ 300 por esse show, com direito a jantar, se encolhiam com uma certa vergonha mesmo enquanto o comediante recebia elogios e aplausos.

O Japão é um dos principais centros da cultura jovem do mundo, criador de marcas como a Uniqlo e de personagens como o Pokemon. Mas essa é também uma das sociedades que vem envelhecendo mais rapidamente no mundo, e existe uma crescente necessidade de algo ou alguém que possa entreter cada vez mais o número crescente de aposentados.

Ninguém faz isso melhor do que Kariya, mais conhecido por seu nome artístico, Kimimaro Ayanokoji, ou apenas Kimimaro. Seus livros e CDs já venderam 1 milhão de cópias, e ele sempre enche lugares como o teatro com 500 lugares do elegante Hotel Okura na cidade ocidental de Kobe.

"Kimimaro é o comediante de uma sociedade que está envelhecendo", disse Fukako Shimamura, 63 anos, uma dona de casa, que assistiu ao show de Kiminaro em Kobe. "Ele faz parte da nossa geração e por isso entende os nossos problemas. Ele sabe como nos fazer rir, mas também nos faz refletir sobre nossos problemas e acaba nos ensinando alguma coisa."

‘Rakugo’

Embora suas piadas muitas vezes pareçam um pouco grosseiras, ele se inspira numa tradição japonesa de "rakugo", um monólogo cômico, com algumas adaptações mais modernas, como o desenho de si mesmo que utiliza como logotipo. Ele também é muito moderno na maneira como investe em seu sucesso: ele comercializa sua própria marca de vinho e tem uma loja virtual de venda de roupas infantis, de modo que seus fãs possam compartilhar a alegria com seus netos.

NYT
Plateia do show de Kimimaro Ayanokoji, que foca em público que tem mais de 60 anos de idade
Ele contou que parte de seu apelo está no fato de que ele já dividiu muitas experiências com o seu público por ter nascido logo após a Segunda Guerra Mundial. Filho de um criador de cavalos em uma área rural no sul do país, ele diz que ficou obcecado com o mundo do espetáculo quando viu pela primeira vez programas de entretenimento em uma televisão preto e branco que sua família comprou para assistir os Jogos Olímpicos de Tóquio em 1964.

"Eu me tornei um ídolo para os idosos", disse ele rindo.

Iniciativa: Um ano após tsunami, agente funerário leva esperança a parentes de vítimas

Ele disse que oferece uma oportunidade aos japoneses mais idosos de escaparem dos sentimentos de isolamento no que ele chama de uma sociedade americanizada em que os pais idosos, que tradicionalmente viviam com seus filhos e netos, estão agora morando sozinhos.

Uma de suas principais características é a de zombar casais idosos, cuja faísca romântica desapareceu há muito tempo e foi substituída pelo mau humor do envelhecimento. Para atender seu público, geralmente ele conta suas piadas do ponto de vista da mulher.

"Senhoras, quando vocês eram jovens, imploravam para que os seus maridos voltassem para casa logo que saíssem do trabalho", disse. "Quarenta anos depois e agora que ele finalmente se aposentou e está em casa o tempo inteiro, tudo que vocês conseguem imaginar é quando será que ele vai sair de novo."

Identificação

Outras piadas apelam para ambos os sexos. "Quando você envelhece, tudo parece aumentar: suas rugas, manchas na pele, colesterol, gordura corporal. As únicas coisas que diminuem são o tamanho de suas economias e o número de cabelos em sua cabeça!"

"Ele diz coisas cruéis, mas não importa pois ele é honesto", disse Hiromi Mochida, 68 anos, um integrante da platéia.

Um ano do tsunami: Veja antes e depois da reconstrução no Japão

"Eu gosto dele porque ele nos lembra do que ainda temos", opinou uma de suas amigas, Yoko Hirata, 66 anos. "Às vezes eu fico cansada do meu marido. Mas quando eu venho aqui, percebo que eu sou muito sortuda de estar com ele. Eu percebo que eu consigo vir ao show por causa do dinheiro que ele ganhou durante sua vida profissional".

"Kimimaro me faz agradecida pelo tempo que eu passei junto ao meu marido e pelo tempo que ainda nos resta", acrescentou. "Talvez seja esse o segredo do humor para os idosos."

*Por Martin Fackler

    Leia tudo sobre: japãolidosospiadahumorcomediante

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG