Colônia de albatrozes tem pais do mesmo sexo

A criação cooperada, pela qual um animal ajuda a cuidar de uma prole que não é sua, é muitas vezes encontrada na natureza. Mas pesquisadores no Havaí descobriram um caso que não é tão comum, envolvendo pares de longo prazo de pássaros sem parentesco, e do mesmo sexo.

The New York Times |

Lindsay C. Young e colegas da Universidade do Havaí estudaram uma colônia de albatrozes Laysan em Oahu de 2004 a 2007. Esses pássaros são monogâmicos, e ambos os pais participam na criação de um único filhote.

Os pesquisadores conduziram testes genéticos e monitoraram o sucesso reprodutivo dos pares. Eles relatam em Biology Letters que quase um terço dos 125 pares consistia de duas fêmeas sem parentesco entre si, e metade destes ficaram juntos pela duração do estudo.

Os pesquisadores apontam que para ocorrer uniões fêmea-fêmea como esta, geralmente precisa haver um excedente de fêmeas na população. Esse é o caso para a colônia de Oahu, que é jovem e vem crescendo por imigração, com a maioria dos recém chegados sendo fêmeas. Para que as uniões fêmea-fêmea persistam, dizem os pesquisadores, ambas as fêmeas devem ter oportunidades de se reproduzir. Eles encontraram evidências para isso: para alguns pares que produziram filhotes em mais de um ano de estudo, havia pelo menos um de cada fêmea.

    Leia tudo sobre: albatroz

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG