Cientistas sugerem relação entre a comunicação por sinais e a fisiologia em pássaros

A comunicação sexual em animais é geralmente considerada como uma via de mão única. Ou seja, uma característica física que transmite informação sobre a capacidade de ser desejável de um animal tem um preço fisiológico, e por isso deixa as coisas ¿honestas¿ ¿ se o animal não está nesse nível fisiológico, não produz o sinal de comunicação.

The New York Times |

Mas um estudo sobre andorinhas feito por Rebecca J. Safran da Universidade do Colorado e por colegas da Universidade de Princeton e do Arizona sugere que a ligação entre a comunicação por sinais e a fisiologia pode ser mais complicada.

Os pesquisadores capturaram andorinhas-macho em Nova Jersey no começo da época de procriação e usaram um marca-texto para pintar as penas do peito das aves de vermelho profundo, que é conhecido por provocar desejos intensos nas fêmeas. Eles foram recapturados depois e testaram-se os níveis de hormônios.

Conforme publicado no Current Biology, machos dominantes perderam testosterona, o que é normal durante a época de procriação. Os machos coloridos, no entanto, tiveram níveis mais altos de testosterona.

Safran afirmou não estar claro o motivo da mudança, apesar de possivelmente ser devido do contexto social em que os pássaros se encontraram: os machos mais vermelhos tiveram mais atenção amorosa das fêmeas, e mais ciúme dos machos.

As descobertas demonstram que pelo menos nesse caso, não é só a fisiologia que afeta a comunicação por sinais ¿ ela também pode alterar a fisiologia. E não foi preciso tanto.

O que é realmente surpreendente, disse Dr. Safran, é que tudo que fizemos foi dar aos machos uma nova roupa.

Por Henry Fountain

    Leia tudo sobre: pássaros

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG