Cientistas projetam um novo tipo de papel que não rasga

Os jornais são impressos em papel feito de fibras de celulose obtidas da madeira. As fibras são razoavelmente grandes, da ordem de dezenas de micrometros de largura, e o papel resultante é razoavelmente fraco ¿ puxe-o e ele se rasga facilmente.

The New York Times |

Pesquisadores na Suécia e no Japão desenvolveram um papel muito mais resistente, feito de fibrilas muito menores de celulose. Este nanopapel, como relatam no jornal Biomacromolecules, tem uma força tração maior do que ferro fundido.

Marielle Henriksson do Instituto Real d Tecnologia em Estocolmo e seus colegas usaram enzimas e uma técnica de batidas leves para produzir fibrilas da ordem de dezenas de nanômetros de largura, aproximadamente um milésimo da largura das fibras convencionais. As nanofibrilas foram então misturadas com água, e a suspensão foi filtrada a vácuo para produzir papel.

Os pesquisadores relataram que os papéis eram particularmente porosos, ainda que bastante resistentes a serem rasgados. Eles sugerem que essa propriedade é resultado da alta força de fibrilas individuais e da forma como elas aderem umas às outras.

Os pesquisadores afirmam que se for desenvolvido comercialmente, o papel pode ter utilizações na construção ou como material de reforço.

Por Henry Fountain

    Leia tudo sobre: ciência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG