Projeto de lei aprovado pela Câmara de West Hollywood opõe ativistas dos direitos dos animais e poderosa indústria da moda

A cidade de West Hollywood, na Califórnia, tem apenas 1,9 quilômetros quadrados e cerca de 36 mil moradores. Mas os legisladores veem a si mesmos como formadores da opinião nacional.

Nesta terça-feira, a Câmara Municipal aprovou por unanimidade um projeto de lei que proíbe a venda de roupas feitas com peles de animais – a primeira do tipo no país, acreditam as autoridades municipais. A votação final acontecerá em outubro, antes da medida se tornar lei.

Roupas de pele são vistas em vitrine de uma loja em West Hollywood, nos EUA
NYT
Roupas de pele são vistas em vitrine de uma loja em West Hollywood, nos EUA

O decreto é apenas o último de uma lista crescente de medidas alarmantes, e muitas vezes simbólicas, que os legisladores locais aprovaram na esperança de impulsionar os direitos dos animais e outras causas para o palco nacional.

A cidade foi uma das primeiras a proibir a remoção das garras dos gatos, a venda de armas a baixo custo – conhecida como Saturday Night Specials – , e a venda de cães e gatos em pet shops.

"A cidade é pequena, por isso as atitudes são simbólicas", disse o vereador John D'Amico, que patrocinou a proibição da venda de peles. "Mas acho que o impacto será sentido daqui até a Quinta Avenida (em Nova York). As pessoas vão falar sobre o que significa a proibição da venda de peles de uma nova maneira."

Os membros do Conselho reconhecem que os consumidores em busca de peles podem comprar o quanto quiserem em lojas a apenas alguns quarteirões de distância, em Beverly Hills.

Mas D'Amico espera que outros governos tomem conhecimento da sua iniciativa. Depois que a cidade proibiu a venda de armas baratas, em 1996, muitos outros municípios seguiram o exemplo e, finalmente, todo o Estado da Califórnia reprimiu tais armas.

Os defensores dos direitos dos animais chamaram a proibição da venda de peles de uma vitória histórica.

Mas embora muitos decretos já tenham sido proferidos por West Hollywood sem grande oposição, a proibição da venda de peles tem colocado os defensores dos direitos dos animais da cidade contra a poderosa indústria da moda.

Genevieve Morrill, presidente da Câmara de Comércio de West Hollywood, disse que a proibição da venda de peles – que inclui qualquer vestuário, mas isenta móveis – não deve mudar a atitude do país sobre o assunto, mas pode prejudicar os varejistas de West Hollywood. "Isso iria diminuir a cidade como uma capital da moda", disse Morrill.

D'Amico disse que a cidade ainda está à espera de um estudo sobre o impacto financeiro, que os membros do conselho irão considerar antes da votação final.

Mas Keith Kaplan, diretor-executivo do Conselho de Informação sobre Peles da América, disse que um estudo constatou que 46% dos varejistas de roupas em West Hollywood vendem pele, e que mais de 7% das lojas da cidade disseram que deixariam West Hollywood caso a proibição seja aprovada.

"O lobby dos defensores dos animais claramente não terá o impacto que eles esperam entre os clientes", disse Kaplan. "As pessoas compram peles. Se as pessoas não comprassem peles, as lojas não as venderiam. Assim, o que estão tentando fazer é forçar a proibição de um produto legal."

Por Ian Lovett

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.