Chicago espera conseguir ajuda de Obama para sediar Jogos Olímpicos de 2016

Quando os holofotes de todo o mundo focaram o presidente eleito Barack Obama na terça-feira, os responsáveis pelo comitê que busca eleger Chicago como a sede dos Jogos Olímpicos de 2016 sabiam exatamente o que tinham em mãos: a melhor publicidade gratuita com a qual poderiam sonhar.

The New York Times |


Acordo Ortográfico

Obama chama Chicago de casa e fez seu discurso de vitória no Grant Park, que fica muito perto dos 19 locais de competição propostos para a Olimpíada. Mais de 100 mil pessoas lotaram o gramado para ver Obama, com a cidade como cenário.

"Isso fez com que as pessoas tivessem a chance de ver o centro da
cidade de Chicago e como os jogos seriam", disse Patrick G. Ryan,
presidente e chefe executivo do comitê de candidatura Chicago. "Agora
Chicago se tornará um lugar muito mais relevante e as pessoas se
informarão mais sobre a cidade. Isso é muito vantajoso para nós.


Milhares de pessoas foram ao Grant Park para comemorar a vitória de Obama / AP


Chicago concorre com três cidades - Madri, Rio de Janeiro e Tóquio -
para sediar os Jogos Olímpicos daqui oito anos. O vencedor será anunciado pelo Comitê Olímpico Internacional no dia 2 de outubro de
2009, na Dinamarca. Ryan disse que espera que Obama participe desta
última reunião para ajudar a candidatura de Chicago.

Obama também pode se encontrar com membros do COI na primavera, quando o comitê examinará o planejamento de Chicago para a Olimpíada.

"Eu acho que ele será muito importante", disse Ryan sobre o efeito de
Obama na candidatura da cidade. "Ele é esportista, joga basquete e se
mantém em forma. Além disso, ele sempre teve interesse na juventude no esporte. Tudo isso ajuda nossa candidatura".

Os responsáveis por algumas das outras cidades candidatas se preocupam com a vitória de Obama. Diversos executivos da aposta de Tóquio temem que a figura carismática de Obama possa dar vantagem a Chicago.

"Obama é muito popular e bom em discursos, então as coisas ficaram
mais difíceis para o Japão", disse Tomiaki Fukuda, do comitê de
Tóquio. "Eu sinto uma crise a caminho".

Outras cidades ficaram menos apreensivas. Malcolm Munro, porta-voz da aposta de Madri, parabenizou Obama por sua vitória, mas disse que
todas as cidades têm suas vantagens que podem ser atraentes aos
eleitores do COI.

"Ainda que coisas como o apoio político sejam obviamente importantes,
nós esperamos que no final do dia a decisão seja feita simplesmente
pela cidade mais capaz de sediar a Olimpíada", ele disse.

A história mostra, no entanto, que uma candidatura é beneficiada pela
participação do líder do país no processo.

Tony Blair, primeiro-ministro britânico à época, viajou à Cingapura em
2005 para convencer os membros do COI a votarem em Londres como sede dos Jogos de 2012. A cidade ganhou de Paris por quatro votos.

Obama apoiou a candidatura de Chicago quando a cidade ainda buscava ser a aposta americana na disputa e ele estava longe de ser candidato à presidência. Ele gravou uma mensagem em vídeo apoiando o comitê de candidatura.

Em junho do ano passado, ele falou em um comício na cidade depois que Chicago foi indicada como finalista a sediar os jogos de 2016. Ele
disse à multidão que vivia a duas quadras do Washington Park, onde se
propõe construir o Estádio Olímpico

"Eu preciso dizer que em 2016 estarei finalizando meu segundo mandato
como presidente", ele disse e foi recebido com aplausos. Ele acrescentou que não imagina uma forma melhor de terminar sua passagem  pela presidência do que entrando em Washington Park "como presidente dos Estados Unidos e dizendo ao mundo 'Que comecem os Jogos'".

Por JULIET MACUR

Leia mais sobre eleições nos EUA

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG