Celebridades usam escritores para atualizar Twitter

O rapper 50 Cent está entre a legião de famosos que adotou o Twitter como forma de alcançar os fãs que exigem contínuo acesso a suas vidas e pensamentos. No dia 1º de março, ele compartilhou esta frase com as mais de 200 mil pessoas que o acompanham no site: minha ambição me leva através de um túnel sem fim.

The New York Times |

Estas foram as palavra de 50 Cent, mas não foram escritas por ele exatamente. Foi Chris Romero, conhecido como Broadway, o diretor do império online do rapper, que digitou aquelas palavras depois de lê-las em uma entrevista.

Twitter (uma ferramenta de microblog na qual o usuário pode se expressar em até 140 caracteres por vez) se tornou uma importante ferramenta de marketing para celebridades, políticos, e empresários, prometendo um nível de intimidade nunca antes visto na internet.

Mas alguém tem que se responsabilizar por alimentar a página, mesmo que cada publicação seja pouco maior do que uma frase. Em muitos casos, as celebridades e seus assessores usam escritores contratados (ou ghost Twitterers) que mantêm os fãs atualizados sobre a vida do famoso, geralmente replicando a voz do próprio.

Muitas celebridades estão dispostas a divulgar a ajuda que conseguem para publicar seus pensamentos no ciberespaço. Britney Spears recentemente anunciou que procurava alguém que, entre outas coisas, a ajudasse a criar conteúdo no Facebook e Twitter.

O astro no basquete Shaquille O'Neal, no entanto, leva sua conta do Twitter (The Real Shaq) a sério e compartilha novidades pessoais, piadas e algumas críticas sobre seus oponentes com quase 430 mil pessoas.

"Se eu vou falar, virá de mim", ele disse, notando que a tecnologia permite que ele não tenha que falar apenas com a mídia e alcance os fãs diretamente. "São 140 caracteres e isso é tão pouco. Se você precisa de um escritor para isso eu tenho pena de você".

Muitos comentadores online estão surpresos com a prática de se contratar um ghost-Twitterer mas Joseph Nejman, ex-consultor de Britney Spears que ajudou a criar sua estratégia online, disse que isso não passa de hipocrisia dos críticos.

"É OK escrever um Twitter para uma marca", ele disse, notando que é comum que companhias tenham contas no site, "mas não é OK para uma celebridade. A verdade é que elas também são uma marca. O que elas são para o público nem sempre é o que são por trás das cortinas. Se o agente sabe disso ele sabe o que é melhor para a celebridade".


Leia mais sobre Twitter

    Leia tudo sobre: twitter

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG