Casos de agressão sexual revelam crise em comunidade Amish

Segundo investigadores, agressor americano vitimou pelo menos seis meninas, com idades entre 5 e 15 anos nos últimos 10 anos

The New York Times |

Chester Mast, um perturbado jovem da região de Curryville, do leste do Missouri, seguiu para o norte no verão de 2004 para ficar com sua família em Wisconsin. Mast, membro de uma conservadora comunidade Amish local, era aprendiz de seu tio, um carpinteiro.

Seu tio abriu sua casa para o jovem, mas, de acordo com documentos judiciais, logo começou a ter dúvidas sobre Mast. Mais tarde ele disse a investigadores que ao viajar por Michigan havia observado o sobrinho, então com 20 anos, colocar o braço em torno de sua filha de 13 anos de idade.

Durantes as quentes noites do Wisconsin, Mast e seus primos abriam as janelas e jogavam cartas em seu quarto. E foi lá, segundo investigadores, que numa noite de verão a menina se queixou de dor de estômago.

The New York Times
Casa de Chester Mast, na comunidade Amish, no Missouri, EUA
“Ele a convenceu de que poderia acabar com a sua dor de estômago”, disse James Small, detetive do gabinete do xerife do condado de Waushara, em documentos judiciais. Ele pediu que ela se deitasse sobre o seu estômago, disse. “Ela se lembra de deitar-se sobre ele e após algum tempo ele finalmente tê-la penetrado”.

Abuso

Essas são apenas algumas das acusações que Mast, hoje com 26 anos, enfrenta em casos de agressão sexual em dois Estados. As acusações penais oferecem uma visão incomum de uma comunidade Amish em crise.

Mast, que é casado e tem dois filhos e um terceiro a caminho, é acusado de incesto em Wisconsin e de abuso sexual contra uma menor. Além disso, as autoridades do Missouri o acusaram de estupro e sodomia, e de abuso sexual envolvendo uma criança.

Os investigadores afirmam que Mast vitimou pelo menos seis meninas, com idades entre 5 e 15 anos – incluindo algumas fora da comunidade Amish – ao longo dos últimos 10 anos. Na penúltima semana, ele se declarou inocente das acusações e recusou todos os pedidos de entrevista.

Prisão

Ele está preso no condado de Pike sob fiança de US$ 100 mil, e seu julgamento deve começar no dia 15 de dezembro.

Os membros da comunidade dizem que, em um esforço para curar Mast de seus problemas, eles o excomungaram em três ocasiões: em 2004, quando ele voltou de Wisconsin em meio a acusações de que havia estuprado sua prima, e novamente em 2009, quando surgiram novas revelações de seu alegado distúrbio sexual.

The New York Times
Acusações contra homem no Missouri evidenciam crise na comunidade Amish
A terceira excomunhão aconteceu este ano, quando depois de um tortuoso debate interno, a comunidade finalmente apelou à ação da lei.

Até recentemente, líderes da igreja faziam visitas regulares a Mast, dando-lhe conselhos espirituais e pedindo que ele confessasse sua culpa. Embora Mast seja oficialmente excomungado e rejeitado pela igreja, existem meios através dos quais membros da comunidade podem se comunicar com ele, essencialmente envergonhando-o ao lembrá-lo que rompeu seus votos de batismo e o encorajando a voltar.

*Por Malcolm Gay

    Leia tudo sobre: amisheuamissouriabuso sexualagressor

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG