Casal Obama brilha nos bailes da posse em Washington

WASHINGTON - Momentos antes de sua primeira dança no primeiro baile de posse, o presidente Barack Obama subiu ao palco ao lado de sua mulher, Michelle, que resplandecia em um longo vestido marfim.

The New York Times |

"Quão linda é a minha mulher?", Obama perguntou à multidão no baile Neighborhood. Enquanto Beyonce cantava a música "At Last", Obama acidentalmente pisou na cauda do vestido de Michelle, mostrando que pode ser melhor na quadra de basquete do que na pista de dança.

Assim começou a maratona de bailes para o primeiro casal, que durou até as primeiras horas da manhã desta quarta-feira.

Os bailes concluíram um dia de aparentes infindáveis fotografias, discursos, paradas e apertos de mão para o novo presidente e sua primeira dama.

Tanto o casal Obama quanto o vice-presidente Joe Biden e sua mulher, Jill, prometeram participar dos 10 bailes oficiais, que começaram pouco depois das 20h30 (horário local) em uma gelada noite de Washington.

As festas se espalharam pela cidade: no Centro de Convenções Walter E. Washington no centro, no Hilton de Washington em Dupont Circle, no Museu Nacional de Construção, no Arsenal da Guarda Nacional e na Estação da União. As filhas de Obama, Malia e Sasha, não apareceram em nenhum dos bailes, mas sua mãe disse à ABC News que elas não iriam à escola até quinta-feira.

Depois do baile Neighborhood, uma festa de US$25 por cabeça que deveria tornar o evento acessível a praticamente todos, o casal Obama seguiu para o centro de convenções para o baile dos Estados Natais de Obama, uma festa para os moradores de Illinois e do Havaí.

Horas antes do casal Obama aparecer, a orquestra Don Cagen, uma banda de Chicago, começou a aquecer a pista com músicas dos anos 1950 e 1960, como "A Change Is Gonna Come."

Mas a maioria dos presentes ignorou a música e se agrupou diante do palco central, esperando pelas estrelas da noite.

"O objetivo final é ver o presidente e a primeira-dama", disse Susan Peevy, 45, funcionária do serviço postal de Rockville. "Eu não sei quem irá se apresentar e não me importo. Só quero que eles apareçam".


Obama chama a esposa Michelle ao palco / AP

Eles finalmente chegaram, pouco depois das 21h, surgindo no palco de mãos dadas. "Aloha!", Obama disse ao microfone. "Como vocês estão?"

"Este é um baile especial", ele continuou. "Porque representa nossas raízes: o Havaí e Illinois. Juntos vocês nos deram muito".

O casal Obama subiu ao palco depois de uma dramática introdução feita por oito oficiais uniformizados e começou a dançar, enquanto a multidão aplaudia.

Os homens usavam black tie e as mulheres vestidos de contas, chifom e, algumas vezes, peles. Em homenagem a Lincoln, alguns chapéus eram vistos na multidão.

Claro, os dias de glamour dos bailes de posse de Reagan são coisa do passado e as multidões de terça-feira não vieram pela música, pela comida ou pela champanhe de US$12 a taça. (De acordo, o preço dos ingressos subiu para US$150 dos US$100 de 1981.)

"Eu imaginei que seria como uma abertura black tie de uma exposição de carros", disse Carolyn Grisko de Chicago, que se declarou uma autoridade em festas políticas.

Ainda assim, milhares de fieis do Partido Democrata se reuniram em toda a cidade em salões de baile que receberam mais de 5.000 pessoas.

No baile do Meio-Atlântico, do qual participou o governador David A. Paterson de Nova York e o governador Tim Kaine da Virgínia, a multidão deixou o bar e as mesas para ver Wyclef Jean tocar o hino nacional em sua guitarra.

Do outro lado da cidade, no Dupont Circle, milhares de jovens voluntários da campanha de Obama ficaram em fila por mais de duas horas para entrar no baile da Juventude, uma festa de US$75 por cabeça que almejava pessoas entre 18 e 35 anos.

Celebridades

A segurança era rígida e mesmo alguns convidados da MTV, entre eles Leonardo DiCaprio, Ashton Kutcher e Demi Moore, tiveram que enfrentar o frio antes de poder entrar no salão.

Os ingressos eram muito valorizados, mas amigos de voluntários algumas vezes deram sorte. Cameron Coffey, 25, disse que um "amigo de um amigo" que foi voluntário ligou para ela três horas antes do baile e lhe ofereceu o ingresso. 

"Eu tinha um vestido, então resolvi vir para cá", disse Coffey. 
O rapper Kanye West disse que se sentia privilegiado em cantar no baile. "Estou muito feliz por não ter que cantar a céu aberto", ele acrescentou.

Por ULIE BOSMAN

Assista à reportagem sobre a posse de Obama:

Análises

Opinião

Leia também:

Galerias de fotos

Vídeos


    Leia tudo sobre: obama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG