Casa Branca deixará saudade para a primeira-dama

WASHINGTON ¿ A primeira-dama, Laura Bush, tinha olhos nebulosos na manhã da quarta-feira enquanto relembrava os oito anos que passou na Casa Branca durante a coletiva de imprensa anual com uma prévia da decoração natalina, o cardápio das festividades e a árvore de Natal de quase seis metros de altura.

The New York Times |

Acordo Ortográfico

Em uma conversa informal bem mais extensa que a dos anos anteriores ¿ em um ano Laura respondeu apenas duas perguntas ¿ ela se saiu bem e foi além da justificativa das cores vermelho, azul e branco na decoração natalina (patriotismo), do cardápio e de como, de olho na economia, ela e o presidente Bush deveriam gastar o dinheiro do Natal na casa do casal em Dallas em janeiro do próximo ano. Ela falou com nostalgia sobre o que ela sentirá mais falta.

Isso me fará chorar e fará com que ela chore também disse enquanto agradecia Nancy Clarke, florista da Casa Branca, que também suspirou.

A primeira vez que as gêmeas Bush, Jenna e Barbara, entraram na Casa Branca, e 1989, imediatamente depois de uma ato do avô, George Bush, Clarke, que está nos quadro de funcionários desde 1981, as encontrou na porta. Ela levou as garotas a uma loja de flores e deixou que elas comprassem uma pequeno buquê para o quarto delas, eu nunca vou esquecer isso, disse Laura Bush. Essa foi uma maneira muito doce de introduzir as pequenas garotas na Casa Branca.

O que eu vou sentir mais falta será das pessoas, adicionou.


Primeira-dama mostra a decoração natalina e diz que sentirá falta da Casa Branca / AP

Da casa também. Foi um privilégio viver aqui e ser a organizadora de todas as coisas fabulosas que estão nesta casa; a bela arte, a mobília histórica, a linda construção, disse Bush.

Eu adorei a chance de aprender sobre todas as pessoas que moraram aqui antes por meio de seus efeitos, da maneira como decoraram a casa, ou da mobília que deixaram aqui, ou pelas histórias que aconteceram nos diferentes cômodos, disse Laura, mencionando que o Salão Leste certa vez abrigou o varal de Abigail Adams.

Eu gosto de pensar nas pessoas que viveram antes de mim disse. Quando George e eu andamos por estes cômodos, pelos cômodos do andar de baixo e pelos nossos aposentos, gostamos de pensar nos presidentes que vieram antes de nós. E dos que estão chegando em breve.

Senti muita nostalgia quando recebemos a sra. Obama aqui, disse Laura, porque lembrei de ter sido recebida pela sra. Clinton, e o que ela me disse naquela ocasião me fez lembrar do que falar para Michelle Obama quando a guiei pela casa.

A informação sobre a janela no closet da primeira-dama com vista para o Jardim das Rosas veio da mãe do presidente, Barbara Bush. Hillary Hodham Clinton passou para Laura Bush: Sua sogra me disse, quando ela me apresentou a casa, para ter certeza de olhar através da janela que ela colocou aqui para ver o que George está fazendo.

Agora, Laura Bush passou isso a sua sucessora. Eu acho que existe uma bela tradição de transição nos Estados Unidos, disse a primeira-dama.

Ela também mencionou a visita guiada que o presidente fez com o presidente eleito Barack Obama, cumprindo com o dever de mostrá-lo seu closet e seu banheiro. Depois ela adicionou que o atual presidente ciclista e o próximo presidente jogador de basquete correram para o andar de cima para ver a academia.

Junto com a nostalgia, Laura disse que ela estava ansiosa por outra vida, a vida depois, eu tenho desejado isso, quando as coisas puderem voltar ao normal. E ela adicionou, talvez eu até cozinhe para mim mesma.

Por MARIAN BURROS

Leia mais sobre Laura Bush

    Leia tudo sobre: casa brancalaura bush

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG