Cansados, alguns talebans relutam em regressar a zonas de guerra

Após derrotas que levaram alguns a fugir para o Paquistão, dirigentes do Taleban pressionam para insurgentes voltarem ao combate

Ther New York Times |

Derrotas recentes e cansaço generalizado, após quase dez anos de guerra, criaram fissuras entre os líderes máximos do Taleban, baseados no Paquistão, e os comandantes de campo de nível médio, que têm suportado o peso dos combates e estão relutantes em regressar a algumas zonas de batalha, disseram membros do Taleban em entrevistas.

Depois de sofrer derrotas com a afluência de milhares de novos soldados americanos a Kandahar e Helmand no ano passado, muitos combatentes talebans se retiraram para o seguro Paquistão. Mas agora estão sob pressão de seus dirigentes para voltar ao Afeganistão e intensificar o combate novamente, disse um comandante do Taleban. Muitos, no entanto, estão hesitantes em fazê-lo.

The New York Times
Avanço das tropas americanas e da Otan a áreas antes dominadas trouxe cansaço aos talebans, que esperam se recuperar
"Eu tenho conversado com alguns comandantes e eles estão relutantes em lutar", disse um comandante de 45 anos, que está com o Taleban desde a sua fundação, em 1994.

Ele falou sob a condição de não ser identificado pois está se escondendo das forças dos Estados Unidos e do Afeganistão. "Definitivamente, há discordância entre os comandantes de campo e os líderes sobre suas exigências de combate", explicou.

As diferenças não apontam apenas para o aumento do estresse no campo de batalha para os comandantes Taleban de nível médio como ele, mas também para a dificuldade de encerrar a insurgência enquanto os líderes máximos do grupo têm santuário no Paquistão, que há muito protege e promove o Taleban.

Líderes

Salvos do outro lado da fronteira e rigidamente controlados por militares e agências de inteligência do Paquistão, os principais líderes do Taleban continuam intransigentes. Com o incentivo de seus protetores no Paquistão, membros do Taleban dizem, os líderes continuam a pressionar os comandantes de nível médio a cruzar a fronteira para exercer a insurgência que estende a influência do Paquistão no sul do Afeganistão.

Algumas das discordâncias no Taleban decorrem de ações das forças dos Estados Unidos, que foram especificamente destinadas a eliminar os comandantes de campo do grupo extremista. As ações prejudicaram a qualidade das forças de combate do Taleban e exacerbaram as diferenças entre os combatentes de campo e seus líderes que ditam as ordens a partir de seu abrigo no Paquistão.

O comandante do Taleban entrevistado admitiu que as forças do Taleban sofreram um abalo nos últimos combates e que alguns comandantes estão perdendo o ânimo. "Comparado com dois anos atrás, quando as pessoas estavam dispostas a lutar, a situação é outra", disse ele. "Estamos cansados de lutar e dizemos isso entre nós. Mas essa é a nossa promessa: não deixaremos o nosso país para os estrangeiros".

Para ele, o Taleban retomará a sua terra. "Esse é nosso país, essas é nosso povo", disse ele. "Precisamos apenas recuar, esperar e adotar outras táticas".

*Por Carlotta Gall

    Leia tudo sobre: afeganistãoeuatalebancombatepaquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG