Câncer de boca em homens é associado com HPV, mostra estudo

O virus sexualmente transmissivel chamado HPV, o papilomavírus humano, é conhecido por causar câncer de colo do útero nas mulheres ¿ motivo pelo qual o governo recomenda que todas as meninas sejam vacinadas contra ele com 11 ou 12 anos, antes de se tornarem sexualmente ativas.

The New York Times |

Agora os pesquisadores descobriram que uma grande porcentagem de cânceres de boca nos homens também está associada com o vírus.

Um teste clínico para testar terapias para câncer de língua e amígdalas descobriu que mais de 40% dos tumores nos homens estavam infectados com HPV, de acordo com um estudo publicado na segunda-feira. Se existe uma boa notícia na descoberta, é que esses tumores associados com o HPV estavam entre os que mais respondiam ao tratamento.

O alto risco de cânceres associados com o HPV em homens sugere que vacinar todos os adolescents é algo que deveria ser fortemente considerado, disse o autor principal do estudo, o dr. Francis P. Worden, um professor de medicina da Universidade de Michigan.

O vírus HPV pode entrar na boca durante o sexo oral. Um estudo publicado em fevereiro por pesquisadores do John Hopkins estima que 38% das células cancerígenas escamosas têm relação com o HPV, e sugeriu que seu número cada vez maior pode ser um resultado de mudanças no comportamento sexual.

O novo estudo, publicado em duas pesquisas no The Journal of Clinical Oncology, incluía 51 homens e 15 mulheres com cânceres nas amígdalas ou na base da língua. Os pesquisadores examinaram biópsias de 42 pacientes antes do tratamento. Depois de testes para HPV, os pesquisadores descobriram que 27 tumores, quase dois terços, deram positivo para o vírus. Dos 51 homens, pesquisadores encontraram 22 com HPV.

Outros especialistas acharam os resultados interessantes, mas disseram que não estava claro o que eles significavam em termos de tratamento. Descobrir a resposta para essa questão era o próximo passo, disse a Dra. Maura L. Gillison, professora de oncologia na John Hopkins que não estava envolvida no estudo.

Claramente, Gillison acrescentou, deveria dar as pessoas mais otimismo de que a vacina que foi aprovada para mulheres e câncer de colo de útero pode ter maiores implicações, e também para outros tumores que podem aparecer em homens e mulheres. Todos os nossos testes clínicos agora serão designados para pacientes HPV positivo e negativo. Agora, esses pacientes serão tratados da mesma maneira.

Todos os pacientes do estudo foram inicialmente tratados com quimioterapia de indução, que é um caminho inicial para diminuir o tumor. Aqueles cujos tumores diminuíram em no mínimo 50%, 12 pacientes, foram então tratados com cirurgia. A maioria não sobreviveu.

Do grupo remanescente, 49 de 54 reagiram ao próximo passo, combinando quimioterapia com radiação. Entre esses, mais de 78% precisaram da cirurgia e 70% sobreviveram mais de quatro anos. Dos 49, quase metade, 24, deram positivo para HPV, e apenas 3 desses eram mulheres.

Pacientes que têm infecções de HPV têm maior risco desses cânceres, disse Worden. Mas a boa notícia é que se essa for a causa de sua doença, eles têm mais chances de sobreviver ao tratamento. Ainda não sabemos qual é a melhor administração de tratamento. Por exemplo, esses pacientes podem se beneficiar de uma quimioterapia e radiação menos intensa.

- Nicholas Bakalar

    Leia tudo sobre: câncerhpv

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG