Califórnia propõe tributação especial para indústria do sexo

SACRAMENTO, Califórnia - De todas as propostas feitas pelo governo da Califórnia para ajudar a cobrir o buraco de US$17 bilhões no orçamento, apenas um fez com que strippers de São Francisco se manifestassem.

The New York Times |

A assembléia local propôs um imposto de 25% sobre os ganhos brutos de todos os produtores e distribuidores de entretenimento para adultos, gerando uma incomparável aliança entre produtores de filmes pornográficos, a Câmara do Comércio e operadoras de tevê a cabo. O projeto de lei cobriria todas as facetas da indústria, de cineastas a estações de tevê e lojas que vendem revistas que contêm nudez, além das casas noturnas que oferecem strip-tease.

A lógica por trás da lei, segundo seu criador, o democrata Charles Calderon, tem duas partes. A primeira, um imposto enorme sobre uma indústria que gera estimados US$4 bilhões pode engordar os cofres do governo, e a segunda, o setor merece.

Calderon disse que as autoridades de patrulhamento são chamadas inúmeras vezes às casas noturnas, doenças sexualmente transmissíveis são freqüentes na indústria cinematográfica de entretenimento adulto, ele disse, sem citar nenhuma fonte em particular, e o custo disso "recai sobre os condados".

"Não se trata de moralidade", disse Calderon. "Se trata deles pagarem o que é justo".

Contra o projeto de lei estavam membros da Câmara do Comércio da Califórnia, um representante das tevês a cabo, um lobista e a atriz pornô, Kayden Kross, que disse em uma entrevista que tal imposto forçaria o setor a mudar de Estado. Dançarinas, hostess e outros também protestaram.

Cerca de 85% de todos os produtos pornográficos e 40% de sua distribuição vem da Califórnia, disse Joy King, vice-presidente da Wicked Pictures e membro da Coalizão do Direito de Expressão. "Um imposto de 25% seria devastador", disse King.

Apesar de alguns conservadores republicanos apoiarem a lei, que precisa de dois terços da maioria legislativa para ser aprovada, sentimentos anti-imposto devem prevalecer, disse Chuck DeVore, o legislador republicano que presidiu a audiência (que pode ser vista nos arquivos do www.calchannel.com ).

    Leia tudo sobre: sexotributo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG