Cabeleireiro revela segredos do meticuloso penteado de Mitt Romney

Leon de Magistris, cabeleireiro do pré-candidato à presidência dos EUA há 20 anos, diz que corte de Roomney é 'muito controlado'

The New York Times |

Os eleitores rotineiramente perguntam sobre ele na campanha eleitoral. Especialistas avaliam a menor mudanças em sua apresentação. Há uma página no Facebook dedicada a ele – isso sem mencionar um blog inteiro. "Sempre foi bonito assim?", alguém perguntou online recentemente. Qual o tema dessa especulação extraordinariamente intensa?

O cabelo de Mitt Romney .

NYT
Mitt Romney, pré-candidato do partido Republicano, participa de evento em Manchester

De longe a sua característica física mais marcante, a cabeça de Romney, impecavelmente tomada por um cabelo preto cuidadosamente penteado, se tornou uma espécie de teste de Rorschach de cosmética na campanha eleitoral, com muitos vendo em suas mechas tudo aquilo amam e odeiam sobre o candidato republicano à Casa Branca: Um homem no controle, reconfortante, ou muito duro, muito liso, muito perfeito, segundo os críticos.

Conselheiros de Romney demonstram preocupação com os fios brilhantes, e os seus rivais têm tentado usá-los contra ele. Questionado pelo apresentador de televisão Jimmy Fallon na segunda-feira qual a palavra que associa a Romney - um empresário, executivo das Olimpíadas e governador - a pré-candidata republicana Michele Bachmann respondeu: "Cabelo".

Ninguém tem uma relação mais complicada e íntima com o cabelo de Romney do que o homem que tem sido responsável por seu corte há mais de duas décadas: o imigrante italiano chamado Leon de Magistris.

Magistris disse em uma entrevista que durante anos tentou convencer Romney, 64, a suavizar sua aparência despenteando um pouco sua juba meticulosa. "Eu falo para  ele: 'bagunce um pouco'", disse Magistris, 69. "Eu digo: 'deixe que seja mais natural'."

Mas essa sugestão não deu certo. "Ele quer parecer muito controlado", disse Magistris. "Ele é um homem muito controlado. O cabelo revela o homem."

A aparência de Romney é contida e clássica: o cabelo curto no pescoço, alinhado nas laterais e penteado para trás sem cair na testa. "Não é algo elegante", observou Magistris."Ele é limpo e conservador."

O corte é tão reconhecível que os homens dos subúrbios abastados de Boston o pedem pelo nome. "Faz o Mitt", eles sussurram para Magistris das cadeiras de vinil vermelho em seu salão de luxo, o Leon & Co., a poucos quarteirões da casa onde Romney criou sua família.

Magistris, que aparou as pontas de Romney por US$ 70 há três semanas, concordou em partilhar alguns dos segredos por trás do cabelo de seu cliente mais famoso.

Segundo ele, não, Romney não pinta seu cabelo. Esse tipo de acessório artificial, disse Magistris, "não faz parte do DNA dele".

Apesar de manter a sua forma em todas as condições, com exceção das mais extremas, ele nao usa gel ou mousse. "Eu não coloco qualquer produto em seu cabelo", ele confessou.

Às vezes, durante longos períodos de estrada, na campanha, Romney corta seu próprio cabelo, para o desespero de seu barbeiro. "Ele não me faz feliz", disse Magistris, "mas o que eu posso fazer?"

Apesar de suas reservas sobre a aparência ultraconservadora de Romney, Magistris é um protetor extremo do antigo governador de Massachusetts.

Algumas semanas atrás, quando ele sintonizou para acompanhar um debate presidencial republicano, ele ficou surpreso ao ver que alguém tinha cortado o cabelo de Romney. "Estava apenas OK", disse Magistris. "Não estava ruim, mas não estava ótimo."

Ele fez uma pausa. "Não estava tão bom quanto estaria se eu tivesse feito o trabalho", concluiu.

Magistris começou a cortar o cabelo de Romney, por sugestão da esposa do governador, Ann, uma cliente de longa data. Antes disso, segundo Magistris, Ann Romney ocasionalmente cortava o cabelo de seu marido em casa, apesar da crescente riqueza da família do Bain Capital, o negócio de private equity que Romney fundou e dirigiu.

Romney rapidamente se apegou a Magistris: entre os cortes, os homens falavam sobre sua paixão pela política e suas grandes ninhadas de filhos (Romney tem cinco; Magistris tem quatro). "Falamos sobre tudo, menos sobre o cabelo", disse.

Andrea Saul, porta-voz da campanha de Romney, não quis comentar sobre o penteado do candidato ou disponibilizar Romney para discuti-lo. Assessores descreveram Romney, cuja agitada agenda o fez passar por barbearias de Atlanta a Nova York (onde seu corte custa US$ 25), como desinteressado por questões sobre sua aparência.

O mesmo não pode ser dito de seus conselheiros. Em 2007, a última vez que concorreu à presidência Romney elaborou uma apresentação de 77 slides sobre seus pontos fortes e fracos, que mais tarde caiu nas mãos de um repórter. Seu cabelo foi listado como um potencial desvio.

Em particular, alguns estrategistas democratas aproveitaram a questão como uma manifestação física do que eles dizem ser uma verdade mais profunda: Romney, cuja fortuna é de cerca de US$ 200 milhões, não é como a maioria dos americanos. (Os democratas sabem o poder político de um cabelo: a lavagem e corte por US$ 400 acabou com a mensagem populista de John Edwards em 2007).

Um certo segmento do mundo político parece atiçado pelo tópico. Durante um debate presidencial republicano em Michigan, há duas semanas, blogs e tweets de repente se iluminaram com comentários: alguns fios de cabelo pareciam revoltos na sobre a testa de Romney.

NYT
Leon de Magistris, cabeleireiro de Mitt Romney, em seu salão, Leon and Co., em Belmont, Massachusetts
"Troque para a CNBC em HD para confirmar que um cabelo Romney esta caindo pela testa", disse Rick Klein, um analista político e editor senior na ABC News, no Twitter.

A revista Esquire registrou sua desaprovação. "O cabelo de Romney oficialmente perdeu a sua glória", escreveu um de seus blogueiros.

Entrevistas com os eleitores durante a campanha sugerem que o cabelo de Romney e sua qualidade anti-envelhecimento é algo positivo, especialmente com as mulheres.

Em uma parada de campanha recente em Manchester, New Hampshire, Caroline Cagan reconheceu uma fraqueza pelos seus cabelos exuberantes. "Um monte de gente iria pagar muito dinheiro para ter um cabelo assim", disse Cagan, membro da Câmara de Comércio local. "Ele projeta juventude. E, honestamente, não se pode evitar, as pessoas com cabelo bom parecem ter boa saúde."

Diane Godbout, uma aposentado que participou do mesmo evento, explicou em termos mais simples: "É um cabelo muito presidencial."

Magistris, um independente que planeja votar em Romney, insiste que seu cliente tem as melhores mechas no campo republicano, uma vantagem pela qual ele orgulhosamente leva o crédito.

"Eu não acho que ele vai me ligar da Casa Branca e dizer: 'Venha aqui cortar o meu cabelo", disse Magistris, com uma pitada de resignação.

"Mas se ele ligar", ele disse, "eu irei".

Por Michael Barbaro e Ashley Parker

    Leia tudo sobre: romneyobamaeuaeleição nos euacasa brancacabelocabeleireirocorteestilo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG