pronto para liderar esta nação num discurso de despedida na noite de terça-feira na Convenção Republicana." / pronto para liderar esta nação num discurso de despedida na noite de terça-feira na Convenção Republicana." /

Bush afirma que McCain é opção de liderança em momento de perigo

ST. PAUL, Minnesota - O presidente Bush proclamou o senador John McCain http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2008/09/03/bush_da_seu_apoio_a_mccain_mantendo_distancia_segura_1636025.html target=_toppronto para liderar esta nação num discurso de despedida na noite de terça-feira na Convenção Republicana.

The New York Times |


    Clique e veja a galeria de fotos do 2º dia da Convenção Republicana

    Mas longe de dar a Bush a chance de representar o papel de unificador do partido como Ronald Reagan e Bill Clinton, esta noite demonstrou apenas a disposição de McCain em tirar o presidente de cena.

    "John é um homem independente que pensa por si mesmo", disse Bush numa transmissão via satélite diretamente da Casa Branca. "Ele não tem medo de discordar. Acredite em mim, pois eu sei".

    O breve discurso, que aconteceu um dia depois que o furacão Gustav o forçou a abandonar sua aparição planejada em Saint Paul, fez de Bush o primeiro presidente a não participar da convenção de seu partido desde que Lyndon B. Johnson faltou à reunião democrata em 1968.

    Retomando temas que marcaram sua presidência, Bush usou o discurso para afirmar que McCain é o homem com a experiência e pulso necessários para cuidar do Estados Unidos em tempos perigosos (uma postura que implicitamente elogiava suas próprias decisões e criticava a posição do candidato democrata, o senador Barack Obama).

    "Nós vivemos num mundo perigoso", disse Bush. "Precisamos de um presidente que entenda as lições do 11 de setembro de 2001: que para proteger a América precisamos permanecer na ofensiva, impedir os ataques antes que aconteçam e não esperar que nos ataquem novamente. O homem que precisamos é John McCain."

    Bush não tomou conta do horário televisionado da convenção, que teve início com um tributo em forma de vídeo a um presidente republicano muito mais popular, Reagan, que incluía fotografias dele com um jovem membro do Congresso, McCain.

    A primeira-dama Laura Bush foi responsável por relatar o que a Casa Branca vê como as conquistas de seu marido: sua lei educacional, seu programa mundial para a Aids, sua iniciativa religiosa, seus representantes na Suprema Corte.

    O ponto alto do programa veio com o senador Fred Thompson do Tennessee incitando a multidão com ataques a Obama e o senador Joseph I. Lieberman do Connecticut, um democrata independente que chegou perto de ser escolhido como parceiro de McCain na disputa, falando sobre como McCain está além de partidos.


    Senador Fred Thompson discursa; ao fundo uma foto de McCain e sua esposa, Cindy / Reuters

    "O que um democrata como eu faz numa Convenção Republicana?", questionou Lieberman. "A resposta é simples. Eu estou aqui para apoiar John McCain porque o país é mais importante do que qualquer partido".

    Representantes republicanos disseram que buscaram usar a noite de terça-feira para retomar a mensagem e se recuperar da caótica segunda-feira.

    Por SHERYL GAY STOLBERG

    Leia também:

    Leia mais sobre : Eleições nos EUA

      Leia tudo sobre: eleições nos eua

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG