Blogs se preparam para invadir campanha presidencial dos EUA

Politico, Talking Points Memo e RealClearPolitics traçam estratégias e investem em equipe para cobrir eleições presidenciais

The New York Times |

Tim Pawlenty, ex-governador de Minnesota que está flertando com a candidatura para presidente, não tem nenhum dos apetrechos de campanha de costume. Nenhum ônibus de turnê, gerente de campanha ou placas de quintal. Poucos americanos, na verdade, sequer sabem o seu nome.

Getty Images
De olho em 2012, ex-governador de Minnesota Tim Pawlenty fala sobre política em Bedford, New Hampshire (25/1/2011)
O que Pawlenty tem é um repórter do Politico narrando cada palavra e movimento de sua campanha não-campanha: uma jovem de 25 anos de idade chamada Kendra Marr, que o seguiu por temperaturas abaixo de zero na semana passada equipada com um Chevrolet Malibu de aluguel revestido com sal, um laptop e uma câmera de vídeo portátil.

As primárias de New Hampshire estão a mais de um ano de distância. O primeiro grande candidato presidencial ainda tem de se declarar formalmente. Só não diga isso para os meios de comunicação como o Politico, o Talking Points Memo e o RealClearPolitics, que já estão planejando cobrir a campanha eleitoral de 2012 de uma forma que nunca poderia ter sido imaginada há quatro anos.

Em busca de conquistar uma maior respeitabilidade, esses sites políticos querem se estabelecer como os blogs da estrada. "Em 2008 nós éramos uma banda de garagem, aprendendo a tocar conforme a música", disse Jim VandeHei, editor executivo e co-fundador do Politico. "Agora somos uma equipe de 200 pessoas, com um toque preciso, ensaiado e muito planejamento”.

O Talking Points Memo, um site que foi estabelecido por volta de 2000, mas só se tornou uma força fora de Washington nos últimos anos, planeja expandir sua equipe de reportagem para 15 pessoas. Em 2008, o site tinha apenas um repórter e um estagiário na campanha. Segundo o seu fundador, editor e publisher, Josh Marshall, o objetivo agora é criar um grande nome para o blog, competindo com os recém-chegados como o Politico e os meios de comunicação tradicionais, como The Washington Post e The New York Times.

Na campanha de 2004, Marshall disse: "Nós éramos uma espécie de jogador". Até 2008, o site já havia se tornado "um jogador pequeno, mas significativo”, observou. Mas agora, ele disse com um certo orgulho: "Nós já temos repórteres designados para diferentes campanhas". E acresentou: “É um jogo totalmente diferente para nós”.

O RealClearPolitics planeja pelo menos duplicar o número de repórteres cobrindo a campanha de 2012 para pelo menos seis, de acordo com John McIntyre, presidente-executivo e cofundador do site. "Nós vamos colocar tantos repórteres no campo quanto pudermos ", disse McIntyre, para quem a reportagem original "é como nos tornamos parte da conversa”.

*Por Jeremy W. Peters

    Leia tudo sobre: euaeleições presidenciais2012política

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG