Bill Clinton e Al Gore se encontram e evocam um passado instável

WASHINGTON ¿ Foi um momento de tensão: Bill Clinton, ex-presidente, e Al Gore, seu ex-vice-presidente, compartilhando um longo abraço, após Clinton conseguir trazer duas jornalistas, que trabalhavam para Gore, de volta para os EUA. Elas eram mantidas em cativeiro na Coreia do Norte.

The New York Times |

A cena dramática no aeroporto Burbank, Califórnia, nesta quarta-feira de manhã foi uma forma visível de lembrar como as circunstâncias conspiraram nos últimos dias ao trazer importantes - e às vezes agressivos ¿ nomes do Partido Democrata juntos novamente, em meio ao drama da viagem de Clinton à Coreia do Norte. Na pista de decolagem estavam dois importantes democratas dos anos 1990, Gore e Clinton, que tiveram um papel importante em negociar o fim da crise internacional em benefício do presidente Barack Obama e Hillary Clinton, secretária de Estado e concorrente de Obama na nomeação em 2008.

Bill Clinton e Gore não permaneceram juntos em público, nesta quarta-feira. Eles tiveram relativamente pouco contato após a infeliz separação, há quase nove anos, de acordo com associados dos dois homens. Ainda assim, após oito anos, ambos construíram identidades no posto da Casa Branca e reputações que parecem tê-los deixado em paz com seu passado compartilhado.

Um obrigado especial ao presidente Clinton, disse Gore, enquanto Clinton o observava, acenando com a cabeça. Meu parceiro e amigo. Sou muito grato. Mike Feldman, consultor democrata que trabalhou com ambos, disse: Olha, ambos saíram do cargo e fizeram coisas diferentes. Mas quando você trabalha lado a lado como fizeram, essa é uma ligação muito forte e fica para sempre. As pessoas dizem que eles não passam muito tempo juntos ¿ bem, eles vivem em cidades diferentes.

Apenas por um momento ¿ mesmo com seu sobrepeso e cabelo grisalho ¿ foi fácil relembrar aquele tempo feliz e determinado, quando Clinton e Gore conseguiram a atenção da nação. Fazendo campanhas em ônibus de caravanas em 1992, com os candidatos democratas para o presidente e o vice-presidente.

Na corrida presidencial, e mais tarde na Casa Branca, os dois homens e suas esposas apresentaram-se como amigos: dividindo um ônibus, piadas e abraços calorosos. Gore apresentava a Clinton cada parada do caminho, alimentando suas energias e canções.

Mesmo assim, associados de ambos dizem, que a relação sempre foi mais pragmática do que pessoal, um reconhecimento dos dois ambiciosos homens, cuja bagagem é similar e quase garantiria uma rivalidade, que eles teriam fracassado de uma forma que não voltariam mais à Casa Branca.

As tensões invariavelmente pareceram azedar as relações entre presidentes e vice-presidentes quando se aproximou a saída de Clinton do cargo de presidente. Isso começou em um momento em que Gore deixou claro aos associados sua náusea, ao saber que Clinton tinha tido um caso com algum interno.

Gore enfrentou Clinton no Salão Oval após o vice concorrer à presidência em 2000 e perder para George W. Bush no colégio eleitoral, em uma decisão da Suprema Corte. No andamento de uma mudança brutal de uma hora, Gore culpou Clinton por sua perda ¿ sugerindo que ele havia afundado pela sobrecarga dos processos de impeachment de Clinton ¿ e o ex-presidente o atacou raivosamente por se distanciar dos problemas e dos registros.


Gore evitou aparecer com Clinton no primeiro ano após sua derrota, e foi visto em círculos do ex-presidente como um apoio implícito a Obama em sua competição no ano passado contra Hillary Clinton ¿ embora um associado de Bill Clinton tenha dito que ele apreciou que Gore acabou participando até o fim

Mas a maior parte disso já passou desde que, há 10 dias, Gore pediu a ajuda de Clinton.

E enquanto eles atravessaram caminhos de tempo em tempo, claramente não houve nada como o momento desta quarta-feira, quando Gore ¿ mostrando Clinton no topo da escada, saindo do avião ¿ foi em frente, bateu palmas e liderou o público nos aplausos. Eles se cumprimentaram, e então se abraçaram por cinco segundos, Clinton passou sua mão pelas costas de Gore, demoradamente, antes que o ex-presidente seguisse para cumprimentar os integrantes das famílias das jornalistas.


Por ADAM NAGOURNEY

Leia mais sobre Bill Clinton

    Leia tudo sobre: al gorebill clintoncoréia do norte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG