Autor de livro que derrubou campanha de Kerry faz sucesso com publicação contra Obama

Em 2004, o conservador Jerome R. Corsi chegou ao topo da lista dos livros mais vendidos como co-autor de Unfit for Command (Despreparado para o Comando, em tradução literal), livro que ataca a posição do senador John Kerry a respeito do Vietnã e que deu início a uma ampla campanha difamatória contra a postura dele em relação à guerra durante sua candidatura à presidência.

The New York Times |

Quase quatro anos depois do início daquela campanha, Corsi lançou um novo livro retratando o senador Barack Obama como um liberal radical que tenta esconder "amplas ligações com o Islã" (Obama é cristão) e questionando se as experiências com drogas que o virtual candidato democrata confessou ter tido durante o colégio realmente pararam por ali.

Grande parte do livro, publicado nos Estados Unidos pela Threshold Editions, uma divisão da Simon & Schuster que tem como editora chefe Mary Matalin, antiga consultora republicana, já foi questionada como enganadora ou falsa desde seu lançamento no dia 1º de agosto.

Mesmo assim o volume aparecerá na lista de livros mais vendidos do  The New York Times neste domingo em 1º lugar. O livro é impulsionado por uma grande quantidade de vendas em pacotes, pelo interesse dos eleitores em Obama e por uma agressiva campanha de marketing que já deu ao autor mais de 100 entrevistas em programas de rádio com apresentadores famosos como Sean Hannity e G. Gordon Liddy, afirmou Corsi na terça-feira.

Esse é um sucesso significativo e prematuro para a editora de três anos de idade de Matalin. A casa diz que irá aumentar a produção do livro para lidar com a antecipada demanda, com 475 mil cópias de "The Obama Nation" (A Nação Obama, em tradução literal) produzidas até agora.

"O objetivo é derrotar Obama", disse Corsi numa entrevista ao telefone. "Eu não quero Obama no cargo". Ele afirmou ainda que planeja ajudar diversos grupos conservadores a realizar campanhas contra Obama no outono, apesar de não citar nomes.

Em relação ao tempo da narrativa, a autoria e o estilo de reportagem, o livro lembra o outro que Corsi e John O'Neill escreveram sobre Kerry, que incluía acusações que se mostraram fracas após investigações jornalísticas que apontaram as contradições.

Websites de esquerda já analisam o último volume de Corsi. O Media Matters, que é comandado por David Brock, realizou uma verificação dos fatos agressiva e seus relatos de fatos incorretos conquistou alguma atenção na TV a cabo.

Diversas das acusações do livro, de fato, não têm fundamento, são enganosas ou incorretas. Corsi descreveu a maioria dos críticos de seu livro como "desnecessários".

Por JIM RUTENBERG e JULIE BOSMAN

Leia mais sobre Obama - Kerry

    Leia tudo sobre: eleições nos eua

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG