Através de um filme, a Índia ganha uma janela para o Paquistão

NOVA DELHI ¿ Entre todas as manchetes que saudaram a estréia deste mês do primeiro filme paquistanês exibido na Índia em quatro décadas, uma chamou a atenção do diretor da obra, Shoaib Mansoor.

The New York Times |

Não sabíamos que o Paquistão tinha essas ótimas casas, dizia o título, como lembrou Mansoor em uma entrevista em Nova Delhi.

O fato é apenas um pequeno fragmento de como a população indiana sabe pouco em relação aos seus vizinhos de fronteira.

Até a estréia do filme "Khuda Kay Liye" ( Pelo Nome de Deus) de Mansoor, nenhum filme produzido pelo Paquistão durante os últimos 43 anos foi distribuído comercialmente nos cinemas da Índia. Esta ausência contribuiu fortemente para disseminar a ignorância no país sobre um Paquistão contemporâneo, separado por hostilidades políticas e que permanece longe da lista de visitas dos cidadãos indianos.

O lançamento do filme, recorde de bilheteria no Paquistão no último ano, foi saudado aqui como marco de um momento significativo nos diálogos de paz entre os dois países.

Após a guerra entre os países em 1965, um dos três conflitos já ocorridos desde que a região foi separada em 1947, o governo paquistanês impôs um boicote à distribuição e transmissão de filmes indianos. Nenhuma resposta formal foi dada pela Índia, mas hostilidades políticas sobre a idéia de exibir filmes do Paquistão foram substituídas nos últimos anos por considerações comerciais.

Na segunda metade do século 20, a indústria de filmes paquistanesa, conhecida como Lollywood, enfrentou um severo declínio e produziu uma distribuição limitada na Índia, país possui sua própria indústria cinematográfica, a Bollywood.

Apesar do boicote, cópias piratas de várias produções de Bollywood sempre foram populares no Paquistão. E em 2006, com a melhoria das relações diplomáticas, o governo paquistanês gradualmente deu início a uma aproximação com o país e permitiu que um número limitado de filmes indianos circulasse legalmente pelas telas de cinema.

O efeito foi um espelho cultural de dois reflexos dividindo os países, com a possibilidade de o Paquistão observar a Índia (ou a gritante versão Bollywoodiana do país), mas com indianos impossibilitados de enxergarem além de suas fronteiras.

Filmes indianos nunca pararam de chegar ao Paquistão em DVDs, disse Mansoor. Então, todos os paquistaneses estão absolutamente claros sobre o estilo de vida na Índia, sobre como tudo é trabalhado no país. Mas não há nada vindo na outra direção, com o resultado de que a Índia tem concepções erradas em relação ao Paquistão.

-Amelia Gentleman


Leia mais sobre: Índia - Paquistão

    Leia tudo sobre: paquistãoíndia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG